Dólar opera em queda, abaixo de R$ 4,10, de olho em reforma da Previdência

clique na imagem e saiba mais

No dia anterior, a moeda norte-americana subiu 0,29%, a R$ 4,1306. No mês, o dólar acumula queda de 0,59%, mas no ano há valorização de 6,62%.

O dólar opera em forte queda nesta terça-feira (22), com expectativas positivas do mercado sobre a votação final da proposta da reforma da Previdência no Senado, em meio ainda a um otimismo no exterior sobre a aprovação do acordo do Brexit.

Às 12h29, a moeda norte-americana caía 1,40%, vendida a R$ 4,0722. No dia anterior, a moeda norte-americana subiu 0,29%, a R$ 4,1306. No mês, o dólar acumula queda de 0,59%, mas no ano há valorização de 6,62%.

Cenário local

Segundo Ricardo Gomes da Silva, superintendente da Correparti Corretora, a queda da moeda norte-americana “reflete o otimismo do investidor em relação ao que pode acontecer nos próximos dias”, com os agentes do mercado esperançosos sobre a aprovação da reforma da Previdência no Senado.

“Nós temos um viés de queda, e esse viés de queda se deve principalmente a uma melhora no ambiente local”, afirmou à Reuters.

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) vota nesta terça-feira as últimas emendas apresentadas à PEC da Previdência, e à tarde a proposta deve ser votada em segundo turno no plenário do Senado, com o mercado otimista sobre a aprovação da reforma.

A votação ocorre em meio a uma crise interna no partido do presidente da República, o PSL, mas Jair Bolsonaro afirmou na segunda-feira que não há uma crise política e nem riscos para a aprovação final da reforma da Previdência.

O líder do PSL no Senado, Major Olimpio (SP), também disse que as discussões sobre a Previdência não foram comprometidas.

Nesta terça-feira, o Banco Central não vendeu nenhum contrato de swap cambial reverso, de oferta de 10.500, e nem dólar à vista, de oferta de até 525 milhões de reais. Adicionalmente, a autarquia também ofertará contratos de swap tradicional, para rolagem do vencimento dezembro de 2019.

Cenário externo

No cenário externo, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, enfrentará duas votações cruciais no Parlamento britânico nesta terça-feira, com os mercados esperançosos de que seu acordo do Brexit será aprovado.