Doria diz que pediu afastamento de Aécio Neves do PSDB durante reunião do partido em SP

Deputado federal é visto por aliados do governador como responsável pela articulação que resultou na vitória de Arthur Lira para a presidência da Câmara. Encontro com lideranças do PSDB ocorreu na noite desta segunda-feira no Palácio dos Bandeirantes.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta terça-feira (9) que pediu o afastamento do deputado Aécio Neves (PSDB-MG) do partido.

Doria se reuniu na noite desta segunda-feira (8), no Palácio dos Bandeirantes, na Zona Sul de São Paulo, com lideranças do PSDB para discutir o apoio de parte da bancada do partido na eleição da presidência da Câmara dos Deputados que resultou na vitória do deputado Arthur Lira (PP-AL), candidato do presidente Jair Bolsonaro. Ele afirmou ter pedido o afastamento do deputado mineiro durante a reunião.

Segundo aliados do governador, Aécio Neves foi responsável por uma articulação nos bastidores para a eleição de Lira que concorria com o deputado Baleia Rossi (DEM) e era o favorito dos tucanos na disputa. “Pedi o afastamento”, afirmou o governador após ser questionado se queria a expulsão de Aécio do partido.

clique na imagem e saiba mais

Após o racha do partido na eleição da Câmara, Doria disse não pode ter dissidências internas e quem pensa diferente da cúpula do PSDB deve deixar o partido. “Entendo que o PSDB não deve abrir espaço para ações desse tipo. O PSDB é um partido com direcionamento e com uma posição, embora possa ter discussões debates, isso faz parte do processo de qualquer partido. Mas você não pode ter dissidências”, disse o governador durante agenda de ampliação do Metrô paulista.

O governador declarou que o PSDB defende a vida, a democracia, saúde e do meio ambiente e criticou os políticos que apoiem causas distintas dessas. “Deputados ou senadores ou quem quer que seja filiado ao PSDB defendendo o oposto. Isso não é partido. Então aqueles que tem pensamento distinto, tenham dignidade e coragem e peçam pra sair”, declarou.

O encontro tucano contou com a presença de lideranças tucanas como o ex-senador Aloysio Nunes, entre outros, e teve a anuência do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. “Que ele saia. É o que se espera de um parlamentar. Afinal de contas, ele foi eleito por voto popular. Então respeite o povo respeito à democracia e respeite o PSDB”, ressaltou Doria sobre Aécio.

Questionado sobre a relação com o DEM, ele diz que continua mantendo uma boa relação com o partido do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. “A nossa relação com o DEM, historicamente o PSDB sempre teve uma boa relação. Mas nos últimos dois anos, ela foi essencialmente coordenada nessa ação conjunta com o deputado Rodrigo Maia, até então presidente da Câmara Federal”, afirmou.

O governador afirmou que vai receber o deputado ACM Neto na sede do governo paulista para um jantar na noite desta terça-feira (9). “Nossa relação foi muito fortalecida com o deputado Rodrigo Maia. Não há estremecimento nem distanciamento nessa relação com o presidente do DEM, ACM Neto.”

O deputado Rodrigo Maia foi convidado por Doria para integrar o PSDB e fortalecer o enfrentamento ao governo federal. “A posição do PSDB é posição de oposição ao governo Jair Bolsonaro. Os que não quiserem fazer oposição ao governo negacionista de Jair Bolsonaro peçam pra sair do PSDB por que essa é a posição do PSDB. Isto nós extraímos de uma reunião ontem à noite com várias lideranças do PSDB e com anuência do presidente de honra do PSDB Fernando Henrique Cardoso. Os que quiserem fazer vassalagem ao Bolsonaro tenham coragem e dignidade de pedir pra sair do PSDB e sigam o seu caminho onde desejarem.”

ÁGIL DPVAT