Doria diz que SP vai vetar festas de carnaval, vê ‘naturalidade’ em uso de restrições por cidades e espera aval para CoronaVac em crianças

Governador afirma que SP não vai autorizar festas em ruas ou locais fechados, e que desfile na capital está em análise. 

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta sexta-feira (7) que o estado vai vetar festas de carnaval, seja ela com manifestações de rua ou ambientes fechados, e admitiu que o desfile na capital pode ser revisto caso haja agravamento de indicadores da saúde. Além disso, ele afirmou que avalia com “naturalidade” a imposição de medidas restritivas por municípios como Amparo (SP) para conter o recrudescimento da pandemia, após chegada da variante ômicron, e a epidemia de gripe.

Em visita visita a Jaguariúna (SP), onde anunciou um investimento de R$ 70 milhões para escolas e creches da região de Campinas (SP), Doria também mencionou que espera por deliberação favorável da Agência Nacional de Vigilância em Saúde (Anvisa) ao uso da vacina CoronaVac em crianças.

Restrições e Carnaval 2022

O governador de São Paulo foi categórico ao mencionar que municípios podem adotar medidas mais restritivas que o estado, ao considerarem dados locais de saúde. Segundo ele, a única recomendação do Comitê Científico neste momento é para que a população evite aglomerações.

“Neste momento, o Comitê não recomenda nenhuma restrição ao funcionamento de comércio e serviços. Recomenda, sim, restrição às aglomerações, e fortemente o uso permanente de máscaras em ambientes fechados e abertos. Vamos acompanhar dia a dia a evolução dos índices da ômicron”, falou Doria ao mencionar que análises indicam contaminação mais rápida, porém, de menor letalidade.

Segundo ele, o governo de São Paulo compreende “com naturalidade” os municípios que decidirem impor medidas restritivas para tentar reduzir as circulações dos vírus da Covid-19 e da gripe. “Nós reconhecemos, o que não podem é facilitar aquilo que o governo de São Paulo determinou […] O governo entende que é a forma de respeitar o municipalismo e as decisões da área da saúde”, frisou.

Ao ser questionado sobre o Carnaval 2022, o tucano salientou que o governo de São Paulo não autorizará, em nenhum município, festas de salão ou ambientes fechados, nem manifestações de rua.

“Vamos deixar para o ano de 2023″, falou Doria. Segundo ele, a questão dos desfiles de carnaval em São Paulo também estão sob análise. Embora seja uma decisão também do município, está sendo avaliado. Se tivermos uma evolução e um agravamento com esta variante ômicron, o tema será revisto sim […] Não é o caso ainda, estamos acompanhando, mas dada a evolução acelerada, é um ponto de cautela e preocupação”, destacou o governador de São Paulo.

CoronaVac em crianças

Doria encerrou a coletiva de imprensa com uma abordagem sobre a expectativa de aval da Agência Nacional de Vigilância em Saúde (Anvisa) para uso da vacina CoronaVac em crianças de 3 a 11 anos.

Segundo ele, o Instituto Butantan já tem 12 milhões de doses disponíveis e a estimativa é de que o total poderia compreender a população desta faixa etária no estado, e metade seria destinada ao Programa Nacional de Imunização (PNI) para aplicações em outros estados brasileiros. “

“Temos a expectativa de que a Anvisa, nos próximos dias, possa analisar e quem sabe deliberar positivamente sobre a aplicação da CoronaVac. Já é uma vacina aceita, segura, eficaz, para vacinação de crianças de 3 a 11, vai até uma faixa etária um pouco inferior ao da [vacina] Pfizer, e isso neste momento está em análise pela Anvisa”, falou Doria.

Ele frisou que o estado também já tem estrutura para imunizar crianças de 5 a 11 nas próximas três semanas, em escolas, mas alegou que para isso ser feito é preciso São Paulo receber as doses do Ministério da Saúde. “Estrutura pronta, seringas compradas, enfermeiros treinados”, completou.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP