Dr Paulo Adolpho Teixeira morre aos 84 anos em Araras, SP

Em retribuição aos serviços prestados ao município, recebeu da Câmara Municipal, em 29 de julho de 1988, o título de Cidadão Ararense.

Faleceu nesta segunda-feira (24) no Hospital da UNIMED na cidade de Araras (SP), o médico Paulo Adolpho Teixeira, aos 84 anos. Ele era viúvo e será sepultado na terça-feira (25), no Cemitério Muncipal local.

Ele nasceu aos 18 de dezembro de 1935, na cidade de Araraquara (SP). Filho de Paulo Veludo Teixeira e de Julieta Rosada Teixeira. Graduou-se na 44ª turma da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), em 1961.

clique na imagem e saiba mais

Teve sua inscrição no Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo
(Cremesp) sob o número 9915, efetivada em 28 de agosto de 1962. Especializou-se em cirurgia e radicou-se na cidade de Araras, atuando como cirurgião geral.

Em retribuição aos serviços prestados ao município, recebeu da Câmara Municipal, em 29 de julho de 1988, por proposta da vereadora Silvia Garcia Simões Zuntini, o título de Cidadão Ararense.

Membro da Maçonaria Fraternidade Ararense, Paulo Adolpho Teixeira pronunciou uma conferência em 21 de abril de 1972 na Biblioteca Municipal Martinico Prado, de Araras, intitulada “Ensaio sobre a História da Maçonaria em Araras”. Eis um trecho de sua palestra: “(…) Em meados de 1907 volta a funcionar a Augusta e Respeitável Loja Capitular “Progresso de Araras”.

É interessante verificarse que durante todo o transcorrer dos tempos até agora relatados, isto é, de 1898 até 1907, as três Lojas que até então existiram, passaram por períodos de franca atividade e outros de adormecimento completo. Muitas vezes seus membros filiavam-se ora numa ora noutra Loja, o que muito contribuiu para tornar dificultoso o trabalho de pesquisa e reconstituição dos fatos então ocorridos”.

Publicou o trabalho “Genética e Saúde Pública no Brasil: Os Programas
Comunitários de Hemoglobinopatias Hereditárias2”. É coautor ao lado de Carlos da Silva Lacaz3 e Charles Edward Corbett da obra Doenças Iatrogênicas (1970). Ele ingressou na Academia de Medicina de São Paulo em 26 de março de 1976, galgando a condição de membro honorário desse sodalício.