Educação manterá programação do Centro de Mídias nos dias de feriados antecipados em SP

Nas cidades onde ocorrerá recesso, o acesso aos conteúdos não será obrigatório; aulas desses dias serão reprisadas.

A programação de aulas do Centro de Mídias da Educação de São Paulo (CMSP), destinada aos 3,5 milhões de alunos da rede estadual de São Paulo, será mantida até sexta-feira (22). Na capital, os feriados de Corpus Christi e Consciência Negra foram antecipados como medida de aumentar os índices de isolamento social e conter a propagação do coronavírus.

O Governador João Doria também encaminhou à Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) um projeto de lei para antecipar para segunda-feira (25) o feriado estadual do Dia 9 de Julho, quando se comemora a Revolução Constitucionalista de 1932.

Como não é possível saber quais serão as decisões dos demais municípios do estado em relação à antecipação dos feriados municipais, a programação do CMSP fica mantida. “Se você é professor ou aluno de uma cidade que aderiu ao feriado, não precisa assistir e participar das aulas. Nós vamos reprisar esses conteúdos depois”, explica o secretário da Educação Rossieli Soares.

clique na imagem e saiba mais

Caso na segunda-feira (25) seja decretado feriado estadual, o acesso ao CMSP não será obrigatório – haverá apenas reprises de aulas.

Ensino mediado por tecnologia

O CMSP é a estratégia da Secretaria da Educação que reúne dois aplicativos, um voltado para a educação infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental, e outro para os anos finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio. Além disso, o CMSP engloba ainda os canais digitais TV Univesp e TV Educação.

As plataformas foram inauguradas no dia 6 de abril para permitir que os 3,5 milhões de alunos matriculados na rede estadual tenham aulas mediadas por tecnologia durante a quarentena. Por meio desses canais, os estudantes têm acesso a conteúdos de todos os componentes curriculares da educação infantil até o ensino médio, com videoaulas e aulas ao vivo e possibilidade de interação. A internet para que os alunos tenham acesso aos aplicativos é subsidiada pela pasta.