Eleitor não pode ser preso até a próxima terça-feira, mas há exceções

A restrição está no Código Eleitoral.

Desde terça-feira, dia 23 de outubro, e até às 5 da tarde do dia 30 de outubro, terça-feira, dois dias após o segundo turno das eleições, nenhum eleitor pode ser preso.

A restrição está no Código Eleitoral. No entanto, há exceções, e as prisões podem, sim, ocorrer em 3 situações.

A primeira é o flagrante, que é a detenção que acontece no momento de um crime.

O eleitor também pode ser preso se receber, nesse período, uma sentença que o condene por um crime inafiançável, como racismo e tráfico de drogas, por exemplo.

E a terceira situação que leva o eleitor para a cadeia mesmo enquanto vigora a restrição eleitoral é o desrespeito a salvo-conduto.

O salvo-conduto eleitoral é uma garantia dada para o eleitor que o impede de sofrer qualquer tipo de coação antes ou depois de votar.

Desrespeitar o salvo-conduto é impedir ou atrapalhar o exercício do direito ao voto.

Lembrando que mais de 147 milhões de brasileiros estão aptos a participar das eleições este ano.

Neste domingo, o país inteiro volta às urnas para a escolha do novo Presidente da República e eleitores de 13 estados e do Distrito Federal escolhem também o novo governador.


Aviso: Os comentários só podem ser feitos via Facebook e são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, sendo passível de retirada, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Tem uma sugestão de reportagem? Nos envie através do WhatsApp (19) 99861-7717.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP