Em alta, Covid-19 representa 42% de síndromes respiratórias no Brasil, aponta Fiocruz

PUBLICIDADE

Predominância da SARS/COV2 na SRAG ocorre pela quarta semana epidemiológica seguida no Brasil.

Segundo o boletim Infogripe da Fiocruz, divulgado nesta sexta-feira, 20, a Covid-19 responde por 41,8% dos casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG). A análise é referente ao período de 8 a 14 de maio, mas já é a quarta semana epidemiológica em que o SARS/COV2 tem predominância.

Outro vírus que traz preocupação é o sincicial respiratório (VSR), que atinge principalmente crianças pequenas e responde por 36,5% dos casos de SRAG. Influenza A e B têm as menores incidências, 3,2% e 0,4% respectivamente.

PUBLICIDADE

Ainda de acordo com o boletim, 18 das 27 unidades federativas apresentam sinal de crescimento de SRAG na tendência de longo prazo. Segundo os pesquisadores, uma das causas seria um certo relaxamento por parte da população neste momento mais confortável da pandemia da Covid-19.

O assunto foi tratado em outro boletim também da Fiocruz divulgado nesta semana sobre a desaceleração da curva de vacinação da terceira dose. Na população acima de 25 anos, a cobertura para esquema vacinal completo é de 80%.

Porém, quando a análise é da terceira dose, quanto mais jovem o grupo mais insatisfatória é a cobertura. De 25 a 29 nove anos é de 35,5%; de 20 a 24 anos, 30,4%; e de 18 a 19 anos é de 25,2%

*Com informações da repórter Carolina Abelin

  •  
PUBLICIDADE
CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP