Equipe de Controle de Endemias realiza bloqueio em regiões com casos confirmados de dengue em Araras, SP

Anúncio

Até o momento, 25 casos de dengue foram confirmados no município; Jardim São João concentra 12 dos 13 casos registrados na região norte.

A Prefeitura Municipal de Araras (SP) está intensificando os trabalhos de combate ao mosquito Aedes aegypti, o principal transmissor da dengue e de doenças como febre amarela, zika e chikungunya.

Como uma das estratégias utilizadas pela Secretária de Saúde, os agentes do setor do Controle de Endemias estão realizando ações de bloqueio, com busca ativa de criadouros e orientação dos moradores nas regiões onde há casos confirmados.

“Sempre que há a confirmação de um caso, os agentes vão até a região onde o caso foi confirmado e realizam visitas nas residências, como orientação aos moradores e busca ativa de criadouros”, explicou a coordenadora de endemias da Secretaria da Saúde, Luciana Cristina Coelho Bianco.

Até o momento, 25 casos autóctones (contraídos no município) de dengue foram confirmados em Araras. Além disso, outros 13 pacientes aguardam resultados de exame para diagnóstico e 11 casos foram negativados.

Do total de casos, 13 foram registrados na região norte, sendo 12 somente no Jardim São João, cinco no centro, dois na região sudoeste, um na região oeste, um na região sul, um na região nordeste, um na região sudeste, dois na região sudoeste e um na região leste.

“É importante ressaltar que, apesar da concentração de casos no Jardim São João, há casos confirmados em praticamente todas as regiões da cidade, o que nos coloca em situação de alerta em todo o município. Precisamos da ajuda da população para evitar a proliferação do mosquito e, consequentemente, frear a transmissão da doença”, explicou Luciana.

O setor de Controle de Endemias da Secretaria da Saúde realizou a avaliação de densidade larvária do mosquito Aedes aegypti em Araras. O índice registrado foi de 1,3 e aponta situação de alerta no indicador que tem como objetivo calcular o risco de epidemia de dengue na cidade.

De acordo com parâmetro do Ministério da Saúde, o resultado é avaliado da seguinte forma: menor que 1,0 (satisfatório), de 1,0 a 3,9 (situação de alerta) e acima de 4,0 (situação de alto risco).

A situação, agravada pelo tempo quente e com alta incidência de chuvas, é acentuada pelo desabastecimento do inseticida utilizado para nebulização em áreas com casos positivos. O produto deixou de ser distribuído pelo Ministério da Saúde no ano passado, após problemas em sua fórmula.

Segundo comunicado do próprio Ministério, “desde maio de 2019, o Brasil está desabastecido do inseticida Malathion devido a uma grande quantidade de produtos vencidos e com problemas de qualidade em razão de alterações químicas em sua formulação. Neste mês, 80 mil litros devem ser distribuídos no país e o Ministério já fez a compra de 300 mil litros de outro inseticida que será distribuído em fevereiro”.

“Enquanto não recebemos um novo inseticida, não conseguimos realizar o bloqueio das áreas com casos positivos. Ou seja, não temos como eliminar o mosquito. Pedimos que a população compre inseticidas e use de acordo com o indicado pelo fabricante, além de realizar, se possível, outras medidas preventivas, como a instalação de telas em janelas”, ressaltou Luciana.

Sintomas e notificação

Pacientes que apresentarem sintomas de dengue, como febre alta (entre 39° e 40°), dor de cabeça, dor atrás dos olhos, manchas, erupções na pele, dores nos ossos e articulações, náuseas e vômitos, devem procurar atendimento nos postos de saúde de Araras.

As unidades da rede municipal de saúde estão equipadas para atender a população em caso de necessidade de hidratação endovenosa. Não existe tratamento específico contra o vírus da dengue, mas é importante que o paciente evite a desidratação.

“Não existe tratamento para a dengue. A principal indicação é que o paciente se mantenha hidratado e utilize dipirona ou paracetamol para o controle dos sintomas, como a febre. Lembrando que anti-inflamatórios e AAS não podem ser utilizados”, explicou o médico da Vigilância Epidemiológica, Rodrigo Klein.

Além disso, a Santa Casa de Araras e a UPA funcionam 24h para situações emergenciais. “Procurar os Postos de Saúde é a melhor opção, já que eles estão preparados para atender e orientar a população. Nesses casos, a Santa Casa de Araras e a UPA 24 hrs devem ser procuradas apenas em situações emergenciais, nos períodos noturnos e aos finais de semana, para que o atendimento nesses locais não fique sobrecarregado”, reforçou Rodrigo.

É importante ressaltar que, em caso de confirmação da doença no Pronto-Socorro ou em hospitais particulares, o paciente deve procurar também uma unidade de saúde da rede municipal. “Somente quando o paciente procura um posto de saúde podemos realizar o exame específico e a notificação do caso, além de seguirmos os protocolos previstos para impedir novos casos na região onde ele mora”, ressaltou a coordenadora do setor de Controle de Endemias, Luciana Cristina Coelho Bianco.

Alerta do Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde divulgou um alerta na última quarta-feira (16) sobre uma possível epidemia de dengue em 11 Estados brasileiros. O alerta acontece porque o tipo 2 do vírus da dengue voltou a circular no final de 2018, depois de 10 anos sob controle.

“Existem quatro tipos de vírus de dengue, sorotipos 1, 2, 3 e 4. Cada pessoa pode ter os quatro sorotipos, mas a infecção gera imunidade permanente. Por esse motivo, o reaparecimento do sorotipo 2, que também aconteceu em Araras, é preocupante, já que vem encontrando população suscetíveis à doença, tendo potencial ainda mais grave que os outros três”, ressaltou a coordenadora da Secretaria Municipal de Saúde.

Mais informações podem ser obtidas pelos telefones 3132-0575 (setor de Controle de Endemias) e 3543-1522 (Secretaria Municipal de Saúde).