Equipe de ROMU prende traficante de drogas após denúncia em Pirassununga, SP

A ação foi pela Vila Belmiro.

A equipe de ROMU – Ronda Ostensiva Municipal de Pirassununga (SP), composta pelos GCMs Carlos, Edmilton, César e Bercke, esteve na apresentando um indivíduo noite de sábado (26) no plantão da Central de Polícia Judiciária. Segundo os guardas, eles estavam em patrulhamento, quando receberam uma denúncia dando conta de que um indivíduo de 21 anos, estaria traficando em sua residência, localizada na Vila Belmiro.

Assim que se aproximaram do local para averiguar a denúncia, avistaram o indiciado na frente de sua residência e por isso resolveram abordá-lo. Assim que viu os guardas, o indiciado primeiro tentou subir na sua motocicleta e quando viu que não daria tempo, tentou resistir a abordagem, se debatendo. Foi necessário o uso moderado de força para contê-lo e durante a contenção, o indiciado e o guarda Carlos caíram ao solo, sendo que o guarda se lesionou levemente no cotovelo direito e na perna direita, enquanto que o indiciado se lesionou na perna e no rosto.

clique na imagem e saiba mais

Após ser contido, os guardas indagaram o indiciado a respeito de tanto nervosismo, no que ele respondeu que estava nervoso porque havia drogas em sua casa. Então os guardas adentram na casa onde o indiciado mora, a qual se trata de um edícula.

Dentro da residência, o indiciado entregou uma porção de maconha que ele mantinha em depósito em sua geladeira. Em seguida, os guardas vistoriaram o restante do imóvel localizando uma porção de maconha na gaveta do guarda roupa, onde também foi localizado a quantia de R$ 505,30 dispostos em notas diversas e moedas.

No quarto os policiais sentiram um cheiro característico da droga crack e continuaram as buscas, localizando embaixo do colchão cinco envoltos de plástico contendo vinte pedras de crack.  Ainda no quarto do indiciado foi localizado o seu aparelho de telefonia celular.

Ao ser questionado a respeito da droga, o indiciado disse que é apenas usuário de maconha, negando que o crack estava em sua residência. Diante de tais fatos, o guardas conduziram o indiciado até o plantão, onde ele disse que apenas as duas porções de maconha lhe pertenciam, negando que estivesse mantendo em depósito as porções de crack apresentadas pelos guardas. Efetuadas pesquisas tanto no banco de dados do IIRGD, quanto no sistema RDO não foram localizadas registros anteriores do indiciado.

Nesta etapa urgente de cognição sumária configurado está a situação flagrancial conforme dispõe o artigo 302, inciso I do Código de Processo Penal e diante da materialidade delitiva demonstrada através do auto de constatação e dos indícios de autoria revelados pelos testemunhos dos guardas municipais que gozam de presunção de legitimidade, da relevante quantidade de droga localizada, reputo que a conduta do indiciado amolda-se ao crime de Tráfico de Drogas, capitulado no artigo 33 “caput” da Lei nº 11.343/06, crimes este insuscetível de fiança conforme dispõe o artigo 5º, inciso XLIII da Constituição Federal.

Após a lavratura do auto de prisão em flagrante, o indiciado foi recolhido na cadeia pública local.