Escolas apostam em obras de curto prazo para receber alunos na volta às aulas presenciais

Construção industrializada em aço é uma das opções para atender a demanda.

Após meses de ensino somente à distância, escolas de vários estados do Brasil retomam gradativamente as atividades presenciais. Neste período, vários espaços passaram por construção e reformas de readequação para instaurar novas medidas de restrições seguindo os protocolos de proteção ao novo coronavírus.

De acordo com o Centro Brasileiro da Construção em Aço, a necessidade de realização de obras de curto prazo abre espaço para que a construção em aço se torne uma das opções mais favoráveis. Apenas para citar um exemplo, por conta da estrutura metálica ser produzida em sistema fabril e apenas montada no canteiro de obras, o tempo total da obra acaba sendo sempre menor, quando comparado com a construção convencional, uma vez que outros processos não precisam parar enquanto a estrutura está sendo fabricada.

Em Belo Horizonte (MG), a escola Casa Fundamental passou por uma expansão no galpão que era ocupado pela quadra de esportes e atividades. Junto a esse espaço, foram propostas duas salas de aula no mezanino, além de um amplo laboratório de 130 m², que pode ser dividido em dois para aulas simultâneas em ambiente aberto e com ventilação natural.

O arquiteto Marcos Franchini, responsável pela obra, explica que o período de reforma durou aproximadamente 5 meses e somente foi possível devido à estrutura portante (vigas e pilares) ter sido executada em perfis tubulares de aço. Já as lajes do espaço foram divididas no sistema seco tipo painel wall para o primeiro piso e em steeldeck no segundo piso (prevendo a futura expansão da escola). “A estrutura metálica tem diversas vantagens quando utilizada, entre elas destacamos a leveza para fundações e possibilidade de vãos maiores com elementos esbeltos. Por se tratar de uma associação de elementos industrializados, há uma grande rapidez em sua montagem e um menor desperdício da obra em si”, disse Franchini.

Construção em aço oferece agilidade às obras

Segundo os dados mais recentes divulgados pelo CBCA, a produção brasileira de estruturas em aço aumentou 25,6% em 2019, se comparado ao número registrado em 2018. Entregue no início de 2020, o projeto da unidade Perdizes do Colégio Pueri Domus, em São Paulo (SP), reuniu mais de 500 toneladas de estrutura metálica como solução para um desnível de 20 metros – do topo do terreno ao meio fio – em plena Avenida Sumaré.

De acordo com o diretor de obras da Construtora RFM, responsável pelo projeto, Dener Brito, o maior desafio para a construção total do espaço educacional foi o curto prazo dado para que as obras terminassem. “Nós optamos pelo projeto metálico por ele ser desenvolvido na fábrica em paralelo à execução das contenções no terreno, além de todas as outras vantagens. O resultado foi uma incrível redução de tempo, totalizando somente 9 meses para finalização de 8 mil m² construídos. Se não tivéssemos optado pelo aço, essa obra demoraria até 5 meses a mais”, contou Brito.

Outro ponto destacado pelo diretor de obras é sobre o uso do steel deck, que permitiu maior segurança e prosseguimento com instalações elétricas, hidráulicas e ar-condicionado nos andares inferiores, enquanto as obras seguiam nos níveis superiores. “Além de tudo, quando você olha a obra do começo ao fim, você percebe o nível de descarte significativamente reduzido e compreende mais uma vantagem em construir com estrutura metálica”, disse Brito.

Sobre o CBCA

O Centro Brasileiro da Construção em Aço (CBCA) é uma entidade de classe, criada em 2002, com o objetivo de ampliar a participação da construção industrializada em aço no mercado nacional, realizando ações para sua divulgação e apoiando o seu desenvolvimento tecnológico no Brasil. O CBCA tem como gestor o Instituto Aço Brasil e não é uma entidade comercial. Para acessar os últimos dados divulgados pela entidade, acesse: www.cbca-acobrasil.org.br/site/estatisticas.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT