Escoteiros homenageiam ‘heróis’ da saúde que atuam na linha de frente do combate ao coronavírus

Crianças a adolescentes escreveram cartinhas agradecendo o importante trabalho que fazem, principalmente durante a pandemia do novo coronavírus.

As crianças e adolescentes que fazem parte do grupo de escoteiros de São Vicente, no litoral de São Paulo, fizeram uma emocionante homenagem aos profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate ao novo coronavírus. Eles escreveram cartinhas personalizadas para agradecer esse importante trabalho e demonstrar seu apoio neste período difícil.

clique na imagem e saiba mais

As 40 cartas foram entregues na manhã desta quarta-feira (10), na unidade de Covid-19 montada no Hospital São José, pela mãe de um dos escoteiros que também é profissional de saúde. Os escoteiros não estiveram presentes devido ao isolamento social e à importância de não expô-los ao vírus.

Uma das profissionais que recebeu esse homenagem tão especial foi a responsável técnica de enfermagem Renata Joanidis. Ela garante que ficou muito feliz com essa surpresa e também por ver que as crianças tiveram essa preocupação com o próximo, com os profissionais que estão no ‘olho do furacão’, como se refere ao enfrentamento da Covid-19.

“Saber que eles perderam um pouco do tempo deles, que também é precioso, pensando no próximo, se colocando no lugar do outro, é muito emocionante. Não tenho palavras para expressar cada palavrinha, cada letra, sentir o coração deles transmitindo amor e força. É uma motivação para fazermos o nosso trabalho com excelência, nos dá ânimo. A minha cartinha trazia palavras de gratidão, conforto, positividade, força e religiosidade”.

A ideia de escrever as cartinhas personalizadas partiu de um dos escoteiros de São Vicente, que repassou a ideia ao grupo. Lourdes Teijeira é comissária do 13º Distrito Costa da Mata Atlântica, nome do grupo de escoteiros. Ela explica que as crianças e adolescentes fizeram a homenagem em casa e os pais entregaram para a chefia ou digitalizaram para quem pudessem ser entregues no hospital em segurança.

“Eles escreveram sobre os profissionais serem heróis da saúde, falaram sobre o que eles estão sentindo, deram força e fizeram desenhos. É muito importante ver que eles estão empenhados nessa causa, preocupados com os profissionais que estão se doando e se arriscando. É muito gratificante para mim, faz bem para a alma”, finaliza.