Especialista ajuda identificar sintomas de intoxicação por chocolate em animais de estimação

Veterinário alerta tutores a não fornecerem chocolate aos pets; consumo pode levar à morte.

O consumo de ovos de chocolate durante o período da Páscoa requer cautela aos tutores de pets. O doce consumido por humanos não pode ser dado aos animais de estimação e a ingestão pode levá-los à morte.

Segundo o coordenador do curso de Medicina Veterinária da Anhanguera de Sorocaba (SP), Tiago Ladeiro de Almeida, substâncias presentes no chocolate feito para consumo humano são prejudiciais aos animais por serem tóxicas ao organismo. O profissional aponta os principais sintomas que pets podem sentir ao consumirem chocolates destinados a humanos. “Os sintomas mais recorrentes em cães e gatos são vômitos em grande quantidade, diarreia, temperatura corpórea alta, vontade excessiva de beber água e urina em grande quantidade”, alerta.

Tiago também alerta que ao apresentarem sintomas, os animais devem ser encaminhados com urgência ao médico veterinário para realizar o processo de desintoxicação do organismo. “Não há um antídoto para o chocolate e o tratamento instituído é a terapia de suporte, com fluidoterapia e medicações que vão anular os efeitos da intoxicação. Caso o animal seja levado ao veterinário em um período de até três horas após ingestão, normalmente o profissional irá tentar provocar o vômito do chocolate e realizar uma lavagem gástrica”, explica.

O profissional também alerta aos tutores para que em caso de urgência, não tentem fazer o processo em casa. “O procedimento de desintoxicação deve ser realizado apenas por um médico veterinário”, afirma.

Ovos de chocolate não podem ser dados para animais de estimação — Foto: Reprodução/TV TEM

Alternativas

Apesar de não poderem consumir os mesmos chocolates dos tutores, os pets não ficam de fora das comemorações. Guloseimas feitas sob medida podem ser consumidas, como petiscos de banana, aveia e mel, além de muffins e chocolates especiais que permitem uma Páscoa mais saborosa aos bichinhos.

No entanto, o veterinário orienta que é importante manter prudência no fornecimento dos petiscos aos pets. “Qualquer petisco novo para o animal deve ser dado em pequena quantidade para não causar indisposição estomacal ou uma diarreia”, finaliza.

*Sob supervisão de Paola Patriarca

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT