Estado de SP monta esquema especial de segurança para as manifestações de 7 de setembro

Cerca de 3,6 mil policiais militares atuarão nos atos na avenida Paulista e no Vale do Anhangabaú.

As forças de segurança do Estado de São Paulo contarão com um esquema especial de policiamento para as manifestações previstas para a próxima terça-feira (7), na Avenida Paulista e Vale do Anhangabaú. O efetivo será reforçado com cerca de 3,6 mil policiais militares a fim de proteger as pessoas, preservar patrimônios e garantir o direito de ir e vir, bem como o de livre participação nos atos e a fluidez no trânsito.
 
Para isso, o patrulhamento será intensificado desde as primeiras horas do dia nos dois locais e também nas imediações das estações do Metrô. No restante da Capital e Estado, o policiamento preventivo e ostensivo também está preparado para garantir a segurança da população e atuar em possíveis outros atos.
 
Para garantir a segurança nas duas manifestações serão mobilizados PMs de batalhões territoriais e especializados, com apoio de 1.473 viaturas, 60 cavalos e  4 drones. Participarão da operação equipes dos Comandos de Policiamento da Capital (CPC), de Trânsito (CPTran), de Choque (CPChq), do Corpo de Bombeiros (CCB), além do CavPM que apoiará com 2 Helicópteros Águia. 
 
Além disso, integrarão o esquema uma equipe de mediadores da PM – agentes que possuem cursos de gerenciamento de crises e terão o papel de facilitar a comunicação da Instituição com os manifestantes e vice-versa a fim de evitar confrontos, discussões e atos de violência. Esses policiais estarão vestindo um colete azul. 
 
As ações serão monitoradas pelo sistema Olho de Águia, por meio de câmeras fixas, móveis, motolink e bodycams, e acompanhadas diretamente de uma sala de crise que será instalada no Centro de Operações da PM (Copom). As delegacias territoriais também estarão preparadas para atender a população e registrar celeremente todas as ocorrências, se necessário. 
 
Outras medidas de segurança
 
Para garantir a segurança das pessoas, a PM também adotou outras medidas, como o prévio cadastro dos carros de som que irão integrar as manifestações, que serão vistoriados por equipes do policiamento de trânsito antes dos eventos e escoltados até os locais determinados para o seu estacionamento.
 
Além disso, haverá revista pessoal e mochilas serão vistoriadas em virtude da proibição do porte de objetos que possam atentar contra a vida dos demais presentes nas manifestações, população em geral e policiais. Entre os itens que não poderão ser usados estão armas brancas e de fogo, bastões, fogos de artifício, sinalizadores e drones. Quem estiver na posse destes materiais será conduzido à delegacia para o registro de um termo circunstanciado.
 
Todas as medidas de segurança adotadas foram acertadas com os representantes dos organizadores dos atos, na última terça-feira (31/8), em duas reuniões preparatórias ocorridas na sede do Comando de Policiamento de Área Metropolitano 1 (CPA/M-1), responsável pelo patrulhamento na área central da cidade.
 
Em relação ao ato na Avenida Paulista, ficou acertado que os grupos se concentrarão no perímetro que compreende a avenida Brigadeiro Luís Antônio e a Praça dos Ciclistas, das 11h às 18h. O ato no Vale do Anhangabaú ocorrerá das 14h às 17h. 
 
Em razão das manifestações, as linhas de ônibus que passam por esses locais serão ajustadas. O Metrô orienta os usuários a comprar antecipadamente os bilhetes e informa que poderá realizar o controle de acesso às plataformas para evitar acidentes, se necessário.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT