Estado de SP registra aumento de roubos e furtos pelo segundo mês consecutivo

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, maio registrou 19,8% mais roubos e 54,2% mais furtos em geral do que o mesmo período do ano passado; total de armas ilegais retiradas das ruas subiu 6%.

Os registros de casos de roubo em geral cresceram 19,8% no estado de São Paulo em maio de 2021, em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo as estatísticas criminais divulgadas nesta sexta-feira (25) pela Secretaria da Segurança Pública (SSP).

Em abril deste ano, haviam sido 16.722 registros. Em maio de 2020, foram registradas 18.318 ocorrências, ante 15.285 no mesmo período do ano passado. Houve crescimento também nos roubos de veículos, de 22,7%, e de cargas, 16%.

No caso de roubos a bancos, houve uma queda: um caso registrado, ante três ocorrências em maio de 2020. O número é o menor da série histórica, iniciada em 2001.

A quantidade de ocorrências para furtos em geral cresceu de 23.778 para 36.665 em maio deste ano, representando um aumento de 54,2%. Em abril deste ano, haviam sido 32.479 registros. No caso de furtos de veículos, o incremento foi de 43% (de 4.525 para 6.470).

Segundo o levantamento, o número de casos e vítimas de homicídios dolosos (quando há intenção de matar) também teve aumento. O número de casos subiu de 226 para 255, representando um aumento de 12,8%. Já o de vítimas foi 12,3% maior (de 236 para 265).

O número de casos de latrocínios também cresceu: foi de 10 para 16, e o de vítimas desse tipo de ocorrência cresceu de 10 para 17, em comparação com maio de 2020. O número de casos de estupro teve elevação de 32,9% em maio deste ano, subindo de 669 registros para 889.

A quantidade de armas ilegais apreendidas também subiu – passou de 1.089 para 1.115, uma alta de 6,1%.

Ocorrências na capital

A capital de São Paulo registrou 51 boletins com 53 vítimas de homicídios dolosos em maio deste ano, o mesmo número registrado em igual período de 2020.

Com isso, as taxas dos últimos 12 meses caíram para 5,20 ocorrências e 5,64 vítimas de mortes intencionais para cada grupo de 100 mil habitantes. Os índices são os menores desde 2001.

Cresceu o registro de latrocínios na capital: foram sete neste ano, contra dois em 2020. Quanto a estupros, foram 61 ocorrências a mais em maio deste ano: os registros passaram de 120 para 181.

Roubos em geral tiveram alta de 16,9%, e os de veículos, 15%. No caso de roubos de cargas, a elevação foi de 20,4% (de 191 para 230). A capital registrou um aumento de 63,2% de furtos em geral e de 61,9% de furtos de veículos.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT