Estudantes do interior paulista criam método de purificação da água no semi-árido brasileiro

207

O sistema produz cloro a partir de um processo químico com água e sal feito com eletricidade, chamado de eletrólise.

Alunos de Campinas, no interior de São Paulo, criaram um método barato para tratar a água de cisternas em regiões do semi-árido brasileiro.

O sistema produz cloro a partir de um processo químico com água e sal feito com eletricidade, chamado de eletrólise.

A ideia tem dupla função: utiliza a energia solar e pode beneficiar comunidades que além de depender da água de chuva, não têm acesso ao fornecimento de eletricidade.

Os estudantes Beatriz Ruscetto da Silva, Matheus Henrique da Silva e Gabriel Trindade foram reconhecidos com uma viagem à Suécia, onde receberam o Prêmio Jovem da Água de Estocolmo.

O trabalho foi desenvolvido no curso de eletrônica da Escola Técnica Estadual Bento Quirino.


Tem uma sugestão de reportagem? Nos envie através do WhatsApp (19) 99861-7717.