Etecs e Fatecs iniciam ano com foco em acolhimento de novos alunos

Ao menos 75 Escolas Técnicas receberam uma parcela dos ingressantes presencialmente.

Escolas Técnicas (Etecs) e Faculdades de Tecnologia (Fatecs) estaduais iniciam o ano letivo nesta semana. Como ocorre habitualmente, os primeiros dias de aula são destinados ao que os educadores chamam de acolhimento: o momento em que o aluno conhece o lugar onde vai estudar, mantém os primeiros contatos com os professores, as disciplinas do curso, as normas da escola ou faculdade. Neste ano, parte das unidades do Centro Paula Souza (CPS) realiza esse acolhimento presencialmente para os alunos novos, respeitando os protocolos de segurança necessários ao combate à pandemia do coronavírus. Considerando apenas o período diurno, cerca de 75 Etecs, espalhadas por todo o Estado, fizeram o acolhimento presencial nesta segunda-feira (8).

A decisão de realizar as atividades presencialmente levou em conta uma série de fatores, entre eles o interesse da comunidade escolar, as fases estabelecidas pelo Plano São Paulo, que contém as estratégias do Governo do Estado para combater a Covid-19, e as orientações do Conselho Estadual de Educação (CEE). No primeiro semestre de 2021, Etecs e Fatecs vão oferecer o chamado ensino híbrido, que concilia aulas presenciais e remotas. 

A diretora da Etec de Cubatão, Kely Renata Mariano da Silva, dividiu os estudantes do curso técnico de Administração Integrado Ensino Médio em dois grupos, com um intervalo de meia hora para que os espaços fossem higienizados entre as visitas. Além dos alunos, pais e responsáveis também puderam comparecer. “Os pais deixam conosco o que eles têm de mais precioso, que são seus filhos. Eles têm expectativas e curiosidades e nós aproveitamos esse momento tão importante para fazer o primeiro contato com a família.” Os que visitaram a escola entre 10h30 e 12h30, puderam, além de tudo, saborear uma macarronada com almôndegas para celebrar o retorno às aulas. 

clique na imagem e saiba mais

Na Etec de Campo Limpo Paulista, a manhã da segunda-feira foi marcada pela recepção aos alunos do Ensino Médio com itinerário formativo em Ciências Humanas. Os pais ficaram no pátio, enquanto os estudantes conheciam a unidade e faziam o primeiro contato com a Plataforma Teams, adotada para as aulas remotas de Etecs e Fatecs, nos laboratórios de informática. “Eles já saíram daqui com e-mail institucional e acesso à plataforma resolvidos”, explica a diretora da unidade, Lucia Helena Matioli da Motta. “Os pais ficaram muito satisfeitos e estão orgulhosos pelo fato de seus filhos estudarem em uma Etec. Os estudantes, por sua vez, se sentiram acolhidos e seguros para realizar as aulas remotas”.

Além de preparar os jovens para o ano letivo híbrido e mostrar que eles agora fazem parte da comunidade das Etecs, as atividades presenciais podem desempenhar outra tarefa importante. “O retorno presencial é fundamental, pois a escola tem papel significativo na criação de hábitos e mudança de conceitos. Acredito que poderemos ajudar a comunidade a tomar consciência da importância do papel de cada um na prevenção à Covid-19”, afirma a diretora da Etec Prof. Armando José Farinazzo, Valdete Aparecida Zanini Magalhães. Na unidade que ela dirige, em Fernandópolis, o acolhimento foi realizado na quadra poliesportiva.

Psicanálise

As Fatecs, por enquanto, ainda não têm atividades presenciais, em razão da Resolução 195 do CEE, segundo a qual as faculdades só podem receber os alunos quando a região em que a unidade está localizada estiver na fase amarela do Plano São Paulo. A evolução de algumas regiões para essa fase ocorreu apenas na última sexta-feira (5).

Mesmo com dinâmicas online, o foco é acolher todos os alunos e prepará-los para mais um ano letivo. “Precisamos de uma atenção especial porque as pessoas ficaram muito tempo em isolamento social e isso provoca estresse e pode levar a problemas emocionais”, diz o diretor do Departamento Acadêmico Pedagógico da Unidade do Ensino Superior de Graduação (Cesu) do CPS, André Braun.

ÁGIL DPVAT

Para oferecer suporte a estudantes e professores, a Cesu mantém uma parceria com a Sociedade Brasileira de Psicanálise, que realiza um trabalho com os educadores a fim de transformá-los em multiplicadores de reflexões sobre saúde mental. “Neste ano teremos nove ou dez Fatecs que ainda não participaram desse trabalho ingressando no grupo e mais oito faculdades que já estão fazendo essa atividade e continuam participando”, conta a diretora-substituta do Departamento Acadêmico-Administrativo da Cesu, Elisete Aparecida Buttignon.