Exame revela agulha atravessada na garganta de cão em SP

O cãozinho Cookie, de um ano e seis meses de idade, passou mal e foi submetido a um raio-x que revelou o material alojado na garganta do animal.

Por Gabriel Gatto, G1 Santos

Um cachorro da raça Shih-tzu precisou passar por um procedimento de urgência para retirar uma agulha de dentro da garganta. Imagens feitas por meio de um exame de raio-x, realizado em uma clínica veterinária de Cubatão (SP), mostram o material alojado no esôfago do cachorro, que foi retirado por meio de uma cirurgia na última terça-feira (14).

Segundo a dona do cãozinho, Cookie tem um ano e seis meses e tem o hábito de morder móveis e objetos. Ele começou a apresentar sintomas no sábado (11), quando a tutora dele, a auxiliar de cozinha Maria Renea Dias da Silva, percebeu que o cão havia vomitado e estava salivado.

clique na imagem e saiba mais

“Quando foi de manhã, notei que ele tinha vomitado muito e já fiquei desesperada. Aí achei um pedaço de palito e imaginei que tivesse sido o que ele comeu, mas já pudesse ter vomitado. Ele passou o resto do dia deitado, quietinho, achei que tinha melhorado. Mas quando foi no domingo, ele começou a piorar muito e eu não achava nenhuma clínica aberta”, relata.

A auxiliar conta que, por meio de uma recomendação, chegou à clínica onde trabalha a veterinária Tatiana Ariki. Assim que a tutora explicou o que havia acontecido, o cachorro foi submetido aos exames que mostraram a agulha. “Quando vi, achei que ele pudesse morrer. Na mesma hora já pegaram ele para levar para cirurgia”.

Segundo a tutora, que tem a costura como hobby, o cachorro encontrou a agulha apesar dos cuidados dela em limpar a casa. “Quando estou costurando, deixo ele longe e só deixo ele entrar depois que limpo tudo. Não sei como ele foi achar essa agulha, mas já redobramos a atenção em casa depois do susto”.

Cachorro se recupera após passar por procedimento de urgência em Cubatão, SP — Foto: Arquivo Pessoal

Emergência

De acordo com a médica veterinária, todo o procedimento foi realizado com agilidade para minimizar os impactos que pudessem ser causados pela agulha. “Foi bem rápido, assim que fizemos o raio-x e vimos a agulha, já levamos ele para cirurgia. Se tivesse demora, ele poderia desenvolver sintomas mais graves ou até ir à óbito”.

Após a cirurgia, o cãozinho foi medicado e liberado para voltar para casa e a auxiliar se diz grata pela agilidade da equipe. “Graças a eles, o Cookie voltou para casa no mesmo dia, já comeu, brincou, está voltando ao normal. Agora já colocamos tudo mais alto, em casa, para ele não morder”.

Tatiana explica que o hábito de morder e engolir objetos é comum em animais mais novos. “Eles tem o hábito de explorar, então é comum que acabem engolindo objetos pequenos, como tampinhas e ossos, por isso a importância de prestar atenção aos sintomas e de um diagnóstico rápido”.