Fadiga de bigode: conheça o problema que afeta os gatos

Incômodo pode atrapalhar o animal a comer. Oferecer alimento em recipiente apropriado é fundamental.

O seu gatinho só come a ração que está no meio do pote ou simplesmente se recusa a comer de determinados recipientes? Pois saiba que isso não é frescura: ele pode estar sofrendo de fadiga de bigode. Nunca ouviu falar disso? A gente explica.

O problema acontece quando o comedouro onde a ração seca para gatos é oferecida não é adequado para o seu felino. Isso pode fazer com que os bigodes rocem na lateral do pote, causando desconforto, já que esses pelos são bastante sensíveis.

Entendendo a sensibilidade

Os bigodes dos felinos, também chamados de vibrissas, são extremamente sensíveis, pois têm a função de enviar várias informações sensoriais para os cérebros desses animais.

A maioria dos felinos possui 24 fios de pelos queratinócitos, que são mais duros e grossos que os pelos do corpo. Esses bigodes levam informações para a base, onde ficam os proprioceptores, órgãos que têm ligação direta com o sistema nervoso do animal.

Isso quer dizer que os bigodes dos gatos funcionam como receptores táteis e qualquer contato deles com objetos envia mensagens diretas para o cérebro dos gatos, o que pode deixar os animais ansiosos e estressados. É por isso que a fadiga de bigode também é conhecida como “stress do bigode”.

Essa característica não é exclusiva dos gatos e, por esse motivo, vários outros mamíferos também podem sofrer com esse problema.

Entre as funções das vibrissas está a de dar ao animal certa noção espacial, ajudando-o a se movimentar, inclusive no escuro. O gato também precisa dos bigodes para caçar presas e calcular se consegue saltar de uma superfície para a outra, por exemplo.

Também é por causa das vibrissas que os gatos têm a incrível habilidade de prever os movimentos de outros animais e objetos. Tudo porque eles conseguem sentir e avaliar as variações no ar do ambiente em que estão.

Pelo bigode, os gatos também expressam como estão se sentindo. Especialistas em comportamento animal conseguem perceber se os felinos estão em alerta só olhando para a posição desses pelos, que costumam ficar arqueados para trás.

Para termos uma noção do quanto os bigodes dos gatos são mesmo sensíveis, com essa capacidade, eles conseguem sentir até mesmo a chegada de uma tempestade e a direção do vento.

A fadiga do bigode pode ser o motivo pelo qual os gatos se recusam a comer ou beber água e, geralmente, está relacionada com o tipo de pote no qual os alimentos e bebidas são oferecidos. Alguns animais também podem ficar agitados, miar ou derrubar a comida no chão na hora das refeições.

Resolvendo o problema

Quando não identificada, a fadiga pode, além do estresse, fazer com que o animal fique desnutrido e desidratado e, em casos mais graves, causar outros transtornos gastrointestinais. Por isso, os tutores devem sempre ficar atentos.

A boa notícia é que esse é um problema fácil de resolver. Na maioria dos casos, basta trocar o comedouro em que serve a ração por um mais largo e menos profundo, diminuindo as chances de incômodo para os bigodes do seu gato durante as refeições.

Também é uma boa ideia investir em uma fonte de água corrente. Além de evitar a fadiga, esse tipo de recipiente costuma estimular os gatos a beber mais água, o que é uma ótima ideia porque muitos felinos bebem pouca água. A longo prazo, o pouco consumo de água pode causar sérios problemas renais.

É importante lembrar que você nunca deve forçar o gato a comer em uma vasilha que ele está recusando. Os animais sempre dão um jeito de nos contar quando estão com algum problema e, por isso, precisamos investigar a causa de qualquer recusa. Além disso, em hipótese alguma corte os bigodes de um gato.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT