Família fala em ‘milagre’ após homem com Covid-19 acordar 3 meses após ser internado

Morador de Peruíbe, no litoral paulista, Mauricio Michel da Silva, de 46 anos, desenvolveu um dos quadros mais graves da doença.

O comerciante Mauricio Michel da Silva, de 46 anos, venceu a Covid-19 após desenvolver um dos quadros mais graves da doença, ficando mais de quatro meses internado. O morador de Peruíbe, no litoral paulista, passou 140 dias no hospital e, agora, vive uma rotina de muita fisioterapia e tratamentos para se recuperar, conforme relatou a esposa. “Ele é um milagre de Deus. [A recuperação] não é fácil, mas estamos aqui, firmes e fortes”, diz a mulher de Mauricio, Cristiana Rodrigues da Silva, de 46 anos.

Em entrevista ao G1 Santos, Cristiana conta que, em julho, o marido teve um mal estar, parecido com uma gripe. Foi quando os sintomas começaram. Eles não suspeitavam que pudesse ser Covid-19, até a família inteira passar a ter sintomas. Ao fazerem o exame, todos descobriram que haviam sido contaminados. Mas, apesar da confirmação, apenas Mauricio começou a ter os sintomas agravados. “Ele teve muita febre, chegando a 39ºC. Chegou a ficar com mais de 30% do pulmão comprometido. Por causa da febre, o levamos para São Paulo, para internação”, explica Cristiana. O comerciante foi internado no dia 1º de agosto e, nos primeiros dias, se manteve estável. No dia 5, entretanto, houve uma piora no quadro e ele precisou ser entubado.

clique na imagem e saiba mais

Nos quatro meses seguintes, Mauricio foi entubado, extubado e precisou fazer uma traqueostomia. Ele desenvolveu diversas complicações, sofreu três paradas cardiorrespiratórias, foi infectado por uma bactéria e precisou de um ECMO de emergência – equipamento que funciona como pulmão e coração artificiais para pacientes com os órgãos comprometidos.

Depois desse procedimento, ele ainda continuou em estado grave, mas passou a apresentar melhora após um período. “Ele dormiu um dia e acordou mais de três meses depois, escutando os médicos comentarem ‘Deus não quis te levar’. Foi um dos casos mais graves do hospital. Em mais de quatro meses, três e meio ele passou na UTI, apenas uns 20 dias no quarto”, relembra a esposa.

Cristiana conta que a saída dele do hospital foi comemorada por toda a família, que passou meses em tensão. “Quem vê todo o quadro dele, e toda a situação, vê que ele está vivo por um milagre”, comenta. Mas, a alta do hospital foi só o começo de outros desafios. Mauricio precisou reaprender coisas básicas, como falar e se alimentar, depois de tanto tempo no hospital. A esposa relata que ele faz fisioterapia duas vezes ao dia, e permanece acamado e com dificuldades na fala.

Com a ajuda da família e de profissionais da saúde, a cada dia é comemorada alguma nova conquista. “É uma evolução no dia a dia. Cada coisa diferente que ele faz, que ele consegue, para nós é uma alegria enorme, a gente comemora. É uma maneira de passar toda essa energia para ele”, reitera Cristiana. Para ela, a recuperação do marido só se deu graças aos profissionais da saúde, a quem agradece os cuidados. “Médicos, enfermeiros, técnicos, faxineiros, sem esquecer de ninguém, eles foram os anjos enviados por Deus, no momento certo, na hora certa. Eles foram os responsáveis por toda a melhora do Maurício”, finaliza.