Fatec desenvolve ventilador pulmonar a preço de custo

Equipamento usado no tratamento do pacientes de COVID-19 foi desenvolvido por professores e estudantes para atender a região.

A Faculdade de Tecnologia do Estado (Fatec) Tatuí desenvolveu um ventilador pulmonar de baixo custo para ajudar hospitais da região no combate à Covid-19. O protótipo do equipamento passou por testes laboratoriais de validação e segue para a próxima etapa de regularização, que é o registro na Anvisa.

O projeto de construção do equipamento é uma parceria da Fatec com a Associação da Justiça Restaurativa do município e com o Grupo Coronamed, que reúne voluntários da sociedade civil. Juntas, essas entidades lideram um coletivo responsável por ações de enfrentamento à pandemia na região.

clique na imagem e saiba mais

O plano é que o primeiro lote, de 300 unidades, produzido por parceiros industriais, seja vendido a preço de custo ou doado às prefeituras da região de Tatuí para suprir a demanda de ventiladores da comunidade. Para o diretor da Fatec Tatuí, Mauro Tomazela, o maior desafio da pesquisa foi desenvolver um aparelho com componentes que, muitas vezes, não estão disponíveis no mercado para produção em escala industrial.

O estudante do curso superior tecnológico de Automação Industrial Enzo de Carli participou do projeto e afirma que a escassez e alto custo de componentes e micro sensores importados motivaram a equipe a desenvolver uma tecnologia própria para produção do ventilador pulmonar.

“Depois de conhecer a experiência de universidades em países como Israel e Estados Unidos na construção de respiradores, vimos que tínhamos tecnologia para fazê-los no laboratório da Fatec, mas não havia peças disponíveis no mercado”, afirma.

Sistema público de saúde

Essa adversidade foi um alerta para o grupo buscar materiais mais fáceis de encontrar, que garantissem a qualidade, maior agilidade na produção e baixo custo. O professor Luis Antonio Galhego ressalta que o objetivo do projeto foi encontrar uma solução capaz de aproveitar o conhecimento que os alunos e professores já dominavam.

“Depois da aprovação do produto pela Anvisa, compartilharemos essa tecnologia com os empresários da região interessados em comercializá-lo. Em contrapartida, vamos negociar para que uma cota de ventiladores chegue ao sistema público de saúde a preço de custo”, afirma.

Outros docentes que participaram do projeto são o coordenador do curso de Automação Industrial, Orlando Homem de Mello, e o professor Edson Ferreira.