Festa clandestina com cerca de 100 pessoas é interrompida em SP

Maioria dos participantes do evento era jovem e compartilhava narguilé. Vigilância Sanitária autuou o estabelecimento e 62 pessoas que estavam sem máscara.

Uma festa clandestina com cerca de 100 pessoas foi interrompida em Mauá, na Grande São Paulo, na noite desta sexta-feira (2). A maioria dos participantes do evento era jovem e não usava máscara, de acordo com boletim de ocorrência.

Agentes da Vigilância Sanitária e da Guarda Civil Municipal de Mauá flagraram a festa na Rua Adilson Dias de Souza, no Jardim Zaíra, após uma denúncia anônima. No local, os jovens consumiam bebidas alcóolicas e compartilhavam narguilé.

Foram levados para a delegacia o proprietário do estabelecimento, o DJ, um cantor de pagode, quatro funcionários e um casal de clientes. Um deles desacatou os policiais durante a abordagem e será submetido a exame de corpo de delito. Todos foram ouvidos pela polícia.

A Vigilância Sanitária, que estava presente, autuou o estabelecimento e 62 pessoas que estavam sem máscara. O boletim de ocorrência foi registrado no 1º DP de Mauá.

No fim de semana passado, a GCM recebeu mais de 100 denúncias de descumprimento de medidas restritivas – a maior parte referente a festas clandestinas, perturbação de sossego e funcionamento irregular de estabelecimentos comerciais.

No domingo (28), duas festas com aglomerações foram encerradas na cidade após denúncias anônimas. Na madrugada, um evento com mais de 40 jovens ocorria na Rua Pedro Serode, no Jardim Mauá. E, à tarde, agentes flagraram mais de 50 pessoas em um pesqueiro na Rua Adolpho da Silva, no Recanto Vital Brasil.

O estado de São Paulo está desde o dia 15 na fase emergencial da quarentena, em que apenas serviços essenciais podem funcionar.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT