Fiat, Renault e outras 5 marcas suspendem produção; 30 fábricas ficarão paradas no país por combate ao coronavírus

clique na imagem e saiba mais

Medida já foi adotada por GM, Volkswagen, Ford e Mercedes e Volvo. Toyota também cita ‘quadro de incertezas do mercado brasileiro no curto prazo’.

Fiat Chrysler (FCA), Renault, Toyota, PSA (Peugeot e Citroën), BMW, Honda, além da divisão de caminhões e ônibus da Volkswagen anunciaram nesta sexta-feira (20) que vão interromper a produção em todas as suas fábricas no Brasil pela pandemia do coronavírus. A medida já foi tomada pela líder em vendas de carros General Motors (GM), dona da Chevrolet, e por Volkswagen, Ford, Caoa Chery, Mercedes-Benz e Volvo Caminhões.

Até o momento, 30 fábricas de veículos no Brasil terão a produção parada por causa da epidemia. Ao todo, o país tem 65 unidades. 

As três fábricas da FCA, em Goiana (PE), Betim (MG) e Campo Largo (PR), terão redução gradual a partir da próxima segunda até serem totalmente paralisadas, o que deve acontecer no dia 30 de março. As atividades deverão ser retomadas em 21 de abril.

Segundo a empresa, que afirma ter adiado todos os eventos e ações de produtos, “a continuidade da produção até a paralisação total se dará mediante as rigorosas medidas preventivas já adotadas para garantir a saúde e integridade dos funcionários”.

A Renault, quarta marca mais popular do Brasil em 2019, 7.500 funcionários da fábrica de São José dos Pinhais (PR) ficarão em férias coletivas no período de 25 de março a 14 de abril.

Na Toyota, as atividades serão suspensas a partir da próxima terça-feira (24) e o retorno está previsto para o dia 6 de abril. As medidas afetam as 4 fábricas, localizadas em São Bernardo do Campo, Sorocaba, Indaiatuba e Porto Feliz, todas no estado de São Paulo.

Segundo a montadora, a paralisação se deve tanto à prevenção da propagação do vírus causador da Covid-19, quanto ao “quadro de incertezas do mercado brasileiro no curto prazo”, além das dificuldades logísticas e de abastecimento de peças e suprimentos.

Os cerca de 6 mil funcionários da Toyota no país ficarão afastados, seja para trabalho remoto, como os colaboradores das áreas administrativas, ou férias coletivas, caso dos trabalhadores de funções que não permitem trabalho à distância.

A Honda anunciou na tarde de sexta-feira (20) que irá suspender a produção de automóveis nas unidades de Sumaré e Itirapina (SP) por 20 dias, a partir de 25 de março. O retorno está previsto para 14 de abril, mas a empresa já disse que pode postergar a volta para 27 de abril. Durante esse período, os funcionários ficarão em férias coletivas.

Por outro lado, a fábrica de motos de Manaus não foi incluída na medida. Segundo a Honda, “a parada da produção é uma alternativa em avaliação, em resposta ao provável avanço na disseminação do vírus no estado do Amazonas.”

A PSA, dona das marcas Peugeot e Citroën também decidiu interromper a produção em sua fábrica de Porto Real (RJ) entre 23 de março e 21 de abril de 2020. Segundo a empresa, “a produção será então reiniciada dependendo da futura situação no país”.

A única fábrica da BMW no Brasil, em Araquari (SC), a partir do dia 30 de março. O retorno das atividades é previsto para 22 de abril.

A Volkswagen Caminhões e Ônibus também anunciou nesta sexta-feira (20) a paralisação da produção da fábrica de Resende (RJ) entre 30 de março e 20 de abril. A empresa afirmou que nesse período seus funcionários ligados à produção terão um período combinado de banco de horas e férias coletivas.

A Hyundai também paraliou as operações em Piracicaba entre esta sexta-feira (20) e a próxima segunda-feira. Porém, o motivo é que há suspeita de que um funcionário tenha contraído a Covid-19. Por isso, a unidade será higienizada e desinfectada.

A Hyundai ainda afirmou que “está estudando próximas medidas a serem implementadas, conforme a evolução da doença no País. Uma dessas medidas pode ser a antecipação de férias coletivas.”

Outras marcas

Na última quinta-feira, a Ford anunciou a paralisação em todas as suas fábricas da América do Sul a partir de segunda-feira (23), enquanto a Volvo dará férias coletivas para os 3,7 mil trabalhadores de sua fábrica de caminhões e ônibus em Curitiba, a partir de 30 de março.

A Volkswagen disse que vai suspender atividades de todas as suas fábricas no país a partir da próxima segunda (23). A Mercedes-Benz também deu férias coletivas para todos os seus funcionários, assim como a General Motors.