Filhote de gambá resgatado de incêndio é alimentado com leite materno no interior de SP

O animal foi encontrado próximo ao corpo de sua mãe, que estava morta, junto a outro filhote que também não sobreviveu a um incêndio em uma área de mata.

Uma família de São José do Rio Pardo (SP) está cuidando temporariamente de um filhote de gambá. O animal foi encontrado próximo ao corpo de sua mãe, que estava morta, junto a outro filhote que também não sobreviveu a um incêndio em uma área de mata.

Para tentar manter o animal vivo, a corretora de imóveis Elizabeth Maria Spina Oliveira passou a retirar seu leite materno para alimentar o pequeno gambá por meio de um frasco. Isso só é possível porque a filha dela ainda é amamentada.

clique na imagem e saiba mais

“A rotina de alimentação é igual a de um recém-nascido, então a cada duas horas eu tiro o leite e vou esquentando, porque a minha filha Laura tem um ano e oito meses e ainda mama no peito. Aí eu aproveito que ela mamou e tiro um pouquinho para dar para ele”, explicou a corretora de imóveis.

O cronograma foi adotado desde que a aposentada Isabel Dalbon encontrou o filhote em uma mata que foi incendiada. Ele estava na bolsa de sua mãe morta, junto com outro filhote que não resistiu aos ferimentos.

“Se eu pudesse, teria resgatado muito mais, porque esse a gente viu, né? E o que a gente não viu? Que está por aí, que queimou, morreu ou então está sofrendo”, disse a aposentada.

Isabel cuidou do gambá durante a noite, até que a sobrinha Elizabeth fosse buscá-lo. A corretora de imóveis é conhecida por resgatar e cuidar de animais em situação de risco. Ela faz isso há mais de seis anos e já retirou cerca de 150 cachorros das ruas.

“Nós estamos tentando primeiro salvar a vida dele, porque ele é muito pequeno e não sabemos se vamos conseguir. Eu espero que assim que ele der uma crescidinha e consiga se alimentar sozinho, que a gente consiga devolver ele para a natureza”, explicou Elizabeth.

A família comunicou a Polícia Ambiental que está com o animalzinho, que também passou por uma avaliação com veterinário. A Polícia Ambiental reforça que ao encontrar um animal silvestre em área urbana ou ferido em área de mata, a recomendação é não tocar, isolar o local e chamar a Polícia Ambiental ou o Corpo de Bombeiros. (Com informações do G1 São Carlos e Araraquara*)