A bactéria pode causar infecção gastrointestinal.

A BRF, empresa alimentícia brasileira dona das marcas Sadia e Perdigão, anunciou nesta quarta-feira (13) que está recolhendo 164,7 toneladas em lotes de frango da Perdigão por risco de estarem contaminadas com a bactéria da salmonella.

Os produtos recolhidos são coxas e sobrecoxas sem osso, filezinhos de frango, filé de peito, meio peito sem osso e sem pele e coração derivados do frango in natura da marca.

A empresa quer recolher todos os lotes que possam estar contaminados, que foram produzidos entre 30 de outubro de 2018 e entre 5 e 12 de novembro de 2018. para facilitar, a BRF sugeriu em comunicado que consumidores que adquiriram produtos destes lotes entrem em contato gratuitamente pelo número 0800 031 13 15 ou pelo e-mail recolhimento.sac@brf-br.com para dúvidas, troca ou devolução.

A salmonella pode causar infecção gastrointestinal caso o alimento não seja devidamente frito, cozido ou assado, ou mesmo não seja caso não seja manuseado seguindo as instruções especificadas na embalagem.

Os produtos afetados são:

– Cortes congelados de frango – Coxas e sobrecoxas sem osso (pacote de 15kg): 6.11.18, 9.11.18 e 10.11.18

– Cortes congelados de frango – Meio peito sem osso e sem pele (pacote de 15kg): 30.10.18, 7.11.18, 9.11.18 e 10.11.18

– Cortes congelados de frango – Filezinho (pacote de 1kg): 30.10.18, 5.11.18, 6.11.18, 7.11.18, 9.11.18, 10.11.18 e 12.11.18

– Miúdos congelados de frango – Coração (pacote de 1kg): 30.10.18, 5.11.18, 6.11.18, 7.11.18, 9.11.18, 10.11.18 e 12.11.18

– Cortes congelados de frango – Filé de peito (pacote de 2kg): 30.10.18 e 9.11.18