Fiscalização Urbana realiza 33 autuações por descumprimento de protocolos sanitários durante o final de semana em Araras, SP

Ao todo, 72 denúncias foram recebidas. 11 foram autuadas por festas e aglomerações e 22 pessoas foram multadas por quebrarem o isolamento social durante o período de transmissão da Covid-19.

Entre sábado e domingo, 72 denúncias de festas e aglomerações foram recebidas e averiguadas pelas equipes de fiscalização, que incluem os fiscais urbanos, Vigilância Sanitária e a Guarda Civil Municipal, na cidade de Araras (SP).

Além disso, durante as diligências, 11 autuações relacionadas à aglomerações foram aplicadas e 22 pessoas foram multadas por quebrarem o isolamento social durante o período de transmissão da Covid-19.

As equipes de fiscalização trabalharam intensamente durante todo final de semana visando coibir aglomerações e verificar o respeito aos protocolos sanitários, como uso de máscara e álcool em gel em espaços públicos e privados. Além disso, também foram realizadas barreiras sanitárias com a verificação de documentos e visitas em residências de pacientes em fase ativa de transmissão da Covid-19.

“O trabalho foi muito intenso. Percorremos diferentes pontos da cidade, identificando presencialmente também as irregularidades que não chegavam por meio de denúncias, para orientar e se necessário, autuar os responsáveis pelo descumprimento dos protocolos”, explicou o chefe da Fiscalização Urbana, Fernando Pagioro.

De acordo com Código Sanitário, a realização de festas e aglomerações prevê multa equivalente a R$ 5.294,38 + R$ 552,71 por pessoa.

Para comércios que funcionarem fora do horário ou em desacordo, a multa da Vigilância Sanitária é de R$ 1452,00 + R$ 282,00 da Fiscalização Urbana.

A falta de uso de máscara em estabelecimento também pode gerar multa de R$ 5.294,38 para o comércio + R$ 552,71 por pessoa.

Já pacientes em fase ativa de transmissão da Covid-19 que quebram o protocolo de isolamento social, são multados em mais de R$ 5 mil reais.

“É importante ressaltar que continuaremos realizando esse trabalho de fiscalização, a fim de colaborar com o interesse coletivo nas questões de saúde, nesse momento tão delicado. Por isso, continuamos pedindo a colaboração da população. Nosso objetivo não é multar, mas precisamos de consciência”, ressaltou Pagioro.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT