Força-tarefa contra a dengue recolhe 50 toneladas de materiais no Jd São João em Araras, SP

Anúncio

Ação foi realizada pela Prefeitura Municipal, no último sábado (18); mais quatro casos da doença foram confirmados nesta segunda-feira, totalizando 9 confirmações este ano.

Equipes da Prefeitura Municipal de Araras (SP) realizaram força-tarefa no último sábado (18), na região norte, para eliminar possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti, principal transmissor da dengue.

Ao todo, 50 toneladas de entulho e outros materiais que poderiam servir como criadouros foram coletados durante a ação, que contou com funcionários das Secretarias de Serviços Públicos e da Saúde.

Quatro máquinas, 10 caminhões e 22 funcionários da Secretaria de Serviços Públicos, além de 27 agentes do setor de Controle de Endemias trabalharam na atividade, que visa intensificar as ações de combate à dengue, por meio da eliminação de criadouros. 

“Durante o arrastão, encontramos muito material que poderia servir como criadouro do mosquito da dengue, além de larvas do mosquito. Precisamos que a população se atente para não deixar água armazenada em locais que possam se tornar possíveis criadouros, como vasos de plantas, caixas d’água, garrafas plásticas, pneus, piscinas sem uso e/ou manutenção e até mesmo em recipientes pequenos, como tampas de garrafas. Estamos trabalhando intensamente, mas precisamos da colaboração de todos”, explicou a coordenadora do setor de Controle de Endemias, Luciana Cristina Coelho Bianco.

Nesta segunda-feira (20), mais quatro casos autóctones da doença foram confirmados em Araras, totalizando nove registros este ano, em Araras. Segundo o setor de Controle de Endemias, outros 23 pacientes aguardam resultado de exames para diagnóstico.

O Jardim São João foi o primeiro bairro a ser escolhido para a ação porque concentra cinco dos nove casos confirmados.

O Ministério da Saúde divulgou um alerta na última quarta-feira (16) sobre uma possível epidemia de dengue em 11 Estados brasileiros.

A situação, agravada pelo tempo quente e com alta incidência de chuvas, é acentuada pelo desabastecimento do inseticida utilizado para nebulização em áreas com casos positivos. O produto deixou de ser distribuído pelo Ministério da Saúde no ano passado, após problemas em sua fórmula.

Segundo comunicado do próprio Ministério, “desde maio de 2019, o Brasil está desabastecido do inseticida Malathion devido a uma grande quantidade de produtos vencidos e com problemas de qualidade em razão de alterações químicas em sua formulação. Neste mês, 80 mil litros devem ser distribuídos no país e o Ministério já fez a compra de 300 mil litros de outro inseticida que será distribuído em fevereiro”.

Em 2019, o Brasil registrou 1.544.987 casos de dengue, com 782 mortes – aumento de 488% em relação a 2018. O país também teve 10.708 casos de zika, com três mortes, e 132.205 ocorrências de chikungunya, com 92 mortes, um aumento, respectivamente, de 52% e de 30% em relação ao ano anterior. As três doenças são transmitidas pela Aedes.

 

 Alerta do Ministério da Saúde

O alerta do Ministério da Saúde acontece porque o tipo 2 do vírus da dengue voltou a circular no final de 2018, depois de 10 anos sob controle.

“Existem quatro tipos de vírus de dengue, sorotipos 1, 2, 3 e 4. Cada pessoa pode ter os quatro sorotipos, mas a infecção gera imunidade permanente. Por esse motivo, o reaparecimento do sorotipo 2, que também aconteceu em Araras, é preocupante, já que vem encontrando população suscetíveis à doença, tendo potencial ainda mais grave que os outros três”, ressaltou a coordenadora.

 

Sintomas da doença

Os sintomas mais comuns da dengue são febre alta, dor de cabeça e nos olhos, cansaço, dor muscular e nas articulações, indisposição, enjoos, vômitos e manchas vermelhas na pele, acompanhadas ou não de dores abdominais e sangramentos espontâneos. Pacientes que apresentarem estes sintomas devem procurar o posto de saúde mais próximo.

Mais informações podem ser obtidas pelos telefones 3132-0575 (setor de Controle de Endemias) e 3543-1522 (Secretaria Municipal de Saúde).