Força-tarefa dispersa 5,6 mil pessoas em 31 festas clandestinas no 3º dia de fiscalização de Carnaval em Campinas, SP

Força-tarefa da prefeitura flagrou eventos clandestinos na metrópole entre a noite de domingo e a madrugada de segunda. 15 estabelecimentos foram fechados; Carnaval foi cancelado por conta da pandemia da Covid-19.

A força-tarefa da Prefeitura de Campinas (SP) para coibir eventos com aglomeração durante o Carnaval, que foi cancelado por conta da pandemia da Covid-19, fechou 15 estabelecimentos por descumprimento das regras sanitárias, além de dispersar 5,6 mil pessoas espalhadas em pelo menos 31 festas clandestinas em bairros da metrópole. A fiscalização, a terceira desde sexta-feira (12), aconteceu entre a noite de domingo (14) e a madrugada de segunda (15).

As equipes, compostas pela Guarda Municipal, Defesa Civil e Vigilância Epidemiológica, também registraram 51 ocorrências de perturbação de sossegado, 27 autuações de trânsito, quatro apreensões de veículos e 17 casos de “pancadão”. Uma pessoa foi atuada por falta de máscara.

Até o último balanço, divulgado na sexta-feira (12), Campinas registrava 1.750 mortes por Covid-19 e 65,1 mil casos confirmados. Na metrópole, o feriado de Carnaval foi cancelado pela administração, assim como na maioria das cidades da região. No entanto, há municípios que mantiveram o ponto facultativo. 

clique na imagem e saiba mais

Primeiro e segundo dia

Na madrugada de sábado (13) para domingo (14), a prefeitura dispersou 13,3 mil pessoas em 16 festas clandestinas. Ao todo, as equipes fecharam 25 estabelecimentos comerciais por descumprimento de medidas sanitárias e realizaram 43 atendimentos de perturbação do sossego e 17 de pancadões.

No dia anterior, quando houve a primeira fiscalização, a força-tarefa já havia dispersado ao menos 2 mil pessoas que participavam de festas. Nove multas foram emitidas por agentes da Secretaria de Planejamento e Urbanismo (Seplurb), 11 ocorrências de perturbação do sossego público foram registradas e 17 de descumprimento de medidas sanitárias.

ÁGIL DPVAT