Força-tarefa vai intensificar fiscalização nas praias de Santos, SP

Após praias ficarem lotadas no último final de semana e banhistas descumprirem obrigatoriedade do uso de máscara, fiscalização será intensificada.

Uma força-tarefa da Guarda Municipal de Santos, no litoral de São Paulo, será realizada neste sábado (18) e domingo (19), em toda a orla da praia, para fiscalizar banhistas. Objetivo é verificar se moradores estão seguindo as regras de utilização das praias. A operação especial acontece após praias ficarem lotadas no último final de semana e banhistas ignorarem a obrigatoriedade do uso de máscaras.

Segundo a administração municipal, a força-tarefa contará com um efetivo de até 50 guardas por dia e apoio de 27 veículos. As praias da cidades estão liberadas para atividades individuais sem restrição de horário desde o último dia 5.

clique na imagem e saiba mais

A Prefeitura de Santos, passou a permitir também o uso do calçadão e da faixa de areia para corrida e caminhadas, natação, surfe, stand up, canoagem e banho de mar. Apesar disso, permanecer na areia para tomar sol, por exemplo, está proibido, assim como qualquer tipo de aglomeração. Com exceção das atividades no mar, o restante deve ser realizado com máscara.

A prefeitura ainda reiterou que a Guarda Municipal tem realizado várias ações de fiscalização na orla, a pé ou em quadriciclos, orientando banhistas sobre a necessidade do distanciamento e abordando pessoas sem máscara, item obrigatório. Entretanto, no último final de semana, as praias ficaram lotadas e houve abuso por parte da população.

No último domingo (12), o prefeito Paulo Alexandre Barbosa afirmou em uma transmissão ao vivo nas redes sociais, que a situação foi uma falta de respeito e cidadania. No mesmo dia, guardas multaram 17 pessoas por não utilizarem máscara.

Banhistas lotam orla da praia de Santos, SP, pelo segundo dia consecutivo — Foto: Vanessa Rodrigues/A Tribuna Jornal

Projetos de Lei

A multa pode passar a ser de R$ 200 para pessoas físicas em Santos caso o projeto de lei complementar do Executivo que estipula o aumento do valor seja aprovado pela Câmara.

A cidade ainda tem um outro projeto de lei que prevê multa para quem participar ou estimular aglomeração e determina o cumprimento do protocolo de distanciamento mínimo de 1,5m entre as pessoas.

De acordo com o projeto, os valores da multa dependem da situação e da quantidade de pessoas envolvidas, variando de R$ 500 (de duas a cinco pessoas) a R$ 5 mil (mais de 10 pessoas) para cada uma. A penalidade será aplicada em dobro caso os infratores em situação de aglomeração não estejam utilizando máscaras.