Gate localiza 93 explosivos espalhados por criminosos que atacaram bancos

Homem foi preso por policiais da DEIC e levado até a delegacia da Polícia Federal no noroeste paulista. Criminoso é a quarta pessoa detida; um homem foi ouvido e liberado. Ação dos assaltantes deixou cinco feridos e três mortos em Araçatuba (SP).

Policiais do Gate localizaram 93 explosivos deixados pela quadrilha que atacou bancos em Araçatuba (SP), nesta segunda-feira (30). Os artefatos foram encontrados nas ruas, nos bancos, nos carros abandonados entre Gabriel Monteiro e Bilac e também em um caminhão deixado pelo grupo perto das agências bancárias. Confira abaixo:

  • 32 artefatos nas ruas
  • 29 artefatos no caminhão abandonado
  • 13 artefatos deixados no Banco do Brasil
  • 19 artefatos achados em carros abandonados em Bilac
  • 70 cartuchos de emulsão no caminhão

 

A Polícia Militar informou que o material explosivo foi levado pelo Gate até uma área de aterro sanitário, no bairro Água Branca, para detonação. Só nas ruas centrais de Araçatuba foram localizados 32 explosivos. No caminhão abandonado pelos criminosos havia 29 artefatos e 70 cartuchos de emulsão (material explosivo usado para a produção de bombas).

Por causa do uso de grande quantidade de explosivos, a Polícia Federal pode investigar o caso como crime de terrorismo. Os policiais do Gate se reuniram nesta manhã para fazer uma varredura no centro de Araçatuba.

Objetivo é saber se há mais explosivos deixados pelo grupo. Por conta da ação, o comércio na região ficou fechado nesta terça-feira (31). As aulas também foram suspensas e o transporte público teve alteração na rota dos ônibus para evitar circulação de pessoas no centro.

Gate usa robô para manejar explosivos apreendidos em Araçatuba — Foto: Reprodução

Três presos

Um suspeito de envolvimento no ataque a três agências bancárias de Araçatuba foi preso em Campinas (SP), a 450 quilômetros de distância do mega-assalto no noroeste paulista, na noite de segunda-feira.

De acordo com a Polícia Federal, ele foi detido por policiais da Divisão Especializada de Investigações Criminais (DEIC) e encaminhado a sede da Polícia Federal em Araçatuba. A PF assumiu a investigação do crime por envolver bancos (Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal) ligados ao governo federal.

O homem é a quarta pessoa detida durante a investigação. Um suspeito detido, também na segunda-feira, foi ouvido e liberado. Um casal segue preso por suspeita de envolvimento no crime.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT