Governo de SP contrata psicólogos para atender professores e estudantes

Profissionais devem iniciar atendimento remoto em novembro; escolas com mais alunos terão acesso a carga horária maior de serviços.

O Governado João Doria anunciou na quarta-feira (2) o lançamento do programa Psicólogos da Educação, que vai contratar pelo menos mil profissionais da área para atender 3,5 milhões de estudantes e 250 mil professores e servidores da rede estadual paulista. O atendimento remoto vai ser feito em mais de 5 mil escolas a partir de novembro.

“Os atendimentos serão feitos inicialmente por videoconferência, remotamente, como determina a orientação do Centro de Contingência da COVID-19. O suporte de psicólogos já era uma demanda histórica, mas se tornou ainda mais necessária diante da pandemia”, declarou Doria.

clique na imagem e saiba mais

Os psicólogos vão apoiar o desenvolvimento das ações do Programa de Melhoria da Convivência e Proteção Escolar (Conviva-SP) e orientar profissionais sobre possíveis sinais passíveis de identificação de traumas e abusos entre os alunos, além de conduzir testes e ferramentas psicológicas, conforme planejamento de cada escola.

“Desde o período anterior a pandemia, a ansiedade é um dos fatores que mais afeta os educadores. 28% afirmam estar sofrendo ou ter sofrido algum tipo de depressão. Agora, quase 50% dos professores indicam que estão preocupados com a saúde mental”, declarou o Secretário de Educação Rossieli Soares. “80% dos jovens hoje dizem que o lado emocional tem atrapalhado nos estudos. O aumento de ocorrência desses transtornos acaba afetando a própria aprendizagem”, acrescentou.

Todas as mais de 5 mil unidades da rede estadual serão beneficiadas. Cada escola terá à disposição, no mínimo, 5 horas semanais de atendimento por um psicólogo. Quanto maior o número de alunos atendidos pela unidade, maior será a carga horária semanal disponibilizada pelos profissionais.

Os atendimentos vão começar em novembro e devem ocorrer por meio de conferência por áudio ou vídeo via internet. A prioridade é que os psicólogos atuem em atividades coletivas que contribuam para a melhora de todo o ambiente escolar. Também haverá a possibilidade de atendimento clínico de emergência para alunos ou servidores.

Como vai funcionar?

Para ter acesso ao atendimento, as escolas terão de realizar agendamento por meio de uma plataforma específica. As equipes das Diretorias de Ensino e da Secretaria de Educação vão fazer o monitoramento e avaliação da atuação dos psicólogos e da melhoria do convívio escolar na rede pública.

Pesquisas

Pesquisa promovida pelo Datafolha em parceria com a Fundação Lemann, Itaú Social e Imaginable Futures apontou que 75% dos estudantes estão tristes, ansiosos ou irritados em decorrência da pandemia. O Datafolha entrevistou 424 responsáveis por estudantes da rede pública com idade entre 6 e 18 anos, dos anos iniciais e finais do ensino fundamental e do ensino médio, no último mês de junho.

Em pesquisa do Instituto Peninsula, feita com professores de todo o país entre abril e maio de 2020, 50% dos profissionais indicaram preocupação com a saúde mental durante a pandemia. O estudo apontou que 55% dos professores declaram que gostariam ter acesso a suporte emocional e psicológico.