Guarda civil municipal é preso após roubar roubar casa em Piracicaba, SP

Ele foi localizado na casa dele e preso em flagrante; segundo PM, guarda confessou o crime e disse ser usuário de drogas.

Um agente da Guarda Civil Municipal (GCM) de 41 anos foi preso após roubar uma casa em Piracicaba (SP). O crime foi na madrugada desta quarta-feira (4) e ele foi detido em flagrante na casa dele.

Segundo a Polícia Militar, ele roubou a casa por volta de 3h e uma testemunha conseguiu anotar a placa do carro que ele usava, e passou para os policiais.

Com a informação, a polícia o identificou e também acionou a própria GCM, que colaborou passando o endereço da casa do GCM. Ele foi detido no local e encaminhado ao Plantão Policial de Piracicaba.

Segundo a PM, inicialmente o guarda negou que tivesse roubado a casa, mas depois confessou o crime e disse que era usuário de drogas. Ele não soube apontar a localização da arma utilizada no roubo, que também não foi apreendida pela polícia.

Ao menos três vítimas reconheceram o guarda como autor de roubos, segundo a PM, que foram identificadas e encaminhadas à delegacia para registrar o boletim de ocorrência.

Guarda se apresentava como policial durante crimes

Uma das vítimas relatou que o guarda chegou na residência se apresentando como policial, na madrugada desta quarta, e entrou na casa mexendo em tudo. Em seguida, ele levou alguns aparelhos eletrônicos, entre eles um notebook, e a carteira do morador com R$ 160 em dinheiro.

Uma outra vítima relatou que na madrugada da terça-feira (3), ele foi abordado na rua pelo indivíduo, que se apresentou como policial e apontou a arma pra ele. Durante a revista, ele levou R$ 50 que estava na carteira do rapaz e depois o ameaçou de morte.

“Ele pegou o revólver e bateu no meu peito e falou que se me visse na rua novamente ia me matar.”

Segundo a polícia, ele estava na GCM há, pelo menos, 10 anos. O guarda foi levado para a Unidade de Polícia Judiciária (UPJ), onde será ouvido pelo delegado.

Arma da GCM foi retirada, diz corporação

A Guarda Civil Municipal informou, em nota, que o guarda preso já não portava mais arma da corporação.

“O direito de uso de arma foi retirado devido a outras ocorrências nos quais ele se envolveu e que são acompanhadas pela Corregedoria da Corporação. A Corregedoria segue os encaminhamentos necessários para que o processo legal seja respeitado e para que o guarda tenha garantido seu amplo direito de defesa”, acrescentou.

Também segundo a Guarda, o agente tinha envolvimento com entorpecentes e recebia acompanhamento do Caps-AD (Centro de Atenção Psicossocial – Álcool e Outras Drogas), encaminhamento este feito pelo comando da GC. A GCM ainda informou que o guarda estava de folga no momento da ocorrência.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP