Hemocentro da Unicamp recorre a outras unidades para receber sangue

Aumento na demanda por cirurgias após flexibilização da quarentena expôs situação crítica. Socorro veio com bolsas enviadas de Cuiabá (MT) e Manaus (AM), mas unidade pede por doações; veja como fazer.

A queda nas doações e o aumento na demanda por bolsas de sangue com cirurgias após a flexibilização da quarentena expôs a grave situação que se encontra o Hemocentro da Unicamp. Com estoques em níveis críticos, a unidade que atende a rede SUS responsável por 6 milhões de pessoas nas regiões de Campinas (SP) e Piracicaba (SP) precisou pedir ajuda a outras unidades, inclusive de outros estados, para receber insumos. É a primeira vez que isso ocorre em cinco anos.

De acordo com o Hemocentro, nos últimos 30 dias houve queda de 22% no volume de doações, se comparado com o mesmo período do ano passado. Além disso, a retomada de algumas cirurgias eletivas, que não ocorreram durante boa parte da quarentena, pressiona o sistema.

clique na imagem e saiba mais

“Isso está comprometendo seriamente os estoques neste momento”, destaca Fabrício Bíscaro, coordenador da divisão de hemoterapia do Hemocentro da Unicamp.

O Hemocentro recebeu auxílio de outras unidades do estado, de Ribeirão Preto (SP) e Botucatu (SP), mas também foi necessário recorrer à Hemorrede, controlada pelo Ministério da Saúde, e bolsas de sangue do Cuiabá (MT), que já chegaram, e Manaus (AM), que estão a caminho, vão garantir um estoque de emergência, para suprir a necessidade de atendimento de três a quatro dias de consumo.

E, mesmo assim, alguns procedimentos precisam ser remarcados por falta de bolsas de sangue. Diante deste cenário, Fabrício Bíscaro pede a colaboração da população para repor os estoques do Hemocentro.

“Que as doações não ocorram só aos sábados, mas ao longo da semana, para que possamos recompor nosso estoque para atender a população de Campinas e região”, diz.

Segundo o coordenador, o processo de doação é seguro, feito por agendamento [veja mais abaixo] e com um protocolo sanitário rígido. “Estamos garantindo as ações de distanciamento, o uso de máscara é obrigatório, além de uma série de processos de higienização e medidas para garantir a segurança do doador”, ressalta Bíscaro.

Doações ao Hemocentro são feitas por agendamento e seguem protocolos sanitários — Foto: Jefferson Barbosa/EPTV

Recomendações para o doador

Além das orientações abaixo, pede-se que aqueles que viajaram para o exterior ou tiveram contato com alguém que viajou ou teve sintomas relacionados ao novo coronavírus esperem um mês para fazer a doação de sangue.

O mesmo período vale para aqueles que estão com sintomas de gripe ou resfriado. As pessoas que tomarem a vacina contra Influenza devem esperar 48 horas para realizar a doação.

Veja recomendações para os doadores

  • Não estar em jejum
  • Repouso mínimo de 6 horas na noite anterior à doação
  • Não ingerir bebida alcoólica nas 12 horas anteriores
  • Evitar fumar pelo menos 2 horas antes da doação
  • Evitar o consumo de alimentos gordurosos nas 3 horas anteriores à doação
  • Apresentar documento com foto válido no território nacional
  • O doador deve ter entre 16 e 69 anos e menores de idade devem estar acompanhados dos pais
  • Necessário ter acima de 50 kg e estar bem de saúde

Onde doar (por agendamento)

Para atender os doadores durante a pandemia da Covid-19, o hemocentro está realizado a coleta de sangue com hora marcada. Os interessados podem efetuar o agendamento através do site.

  • Hemocentro
    Endereço: Rua Carlos Chagas, 480, Cidade Universitária
    Quando: de segunda a sábado, das 7h30 às 15h
  • Mario Gatti
    Endereço: Av. Prefeito Faria Lima, 340, Pq. Itália
    Quando: de segunda a sábado, das 7h30 às 15h
  • Hospital de Sumaré
    Endereço: Av. da Amizade, 2400, Jardim Bela Vista
    Quando: de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 12h
  • Hemonúcleo de Piracicaba
    Endereço: Rua Silva Jardim, 1.700 (antigo prédio do ‘Saúde inteligente’)
    Quando: de segunda a sexta, das 7h30 às 13h