Homem é preso por captar imagens íntimas de menores com o uso de celular

Anúncio
Clique na imagem. Link direto para Whatsapp


Caso foi encaminhado à Delegacia Participativa da Polícia Civil, em Presidente Prudente (SP), na tarde deste sábado (12).

Um homem de 49 anos foi preso na tarde deste sábado (12), no Parque Ecológico da Cidade da Criança, em Presidente Prudente (SP), suspeito de fazer fotos e vídeos íntimos de crianças no local, sem permissão, através de seu aparelho de telefone celular.

Populares que estavam no local tentaram agredi-lo, mas ele foi detido pela Polícia Militar Rodoviária, que fez a primeira abordagem, e depois acabou encaminhado à Delegacia Participativa da Polícia Civil, onde se deu o registro do caso.

Segundo a polícia, o suspeito já tem contra si duas condenações por estupro e um dos casos teve como vítima a sua própria filha. Ele estava em liberdade condicional e teve o celular apreendido pela Polícia Civil para as investigações sobre o caso.

O parque ecológico em Presidente Prudente recebeu milhares de visitantes neste sábado (12) em decorrência das comemorações do Dia das Crianças.

Boletim de Ocorrência

O caso foi registrado na Delegacia Participativa da Polícia Civil como utilizar-se de criança ou adolescente em cena de sexo explícito, com base no artigo 240 do Estatuto da Criança e do Adolescente.

De acordo com as informações contidas no Boletim de Ocorrência, duas testemunhas, que são pais das vítimas, estavam no local com suas filhas de 7, 11 e 13 anos.

Enquanto aguardavam na fila para um dos brinquedos, populares observaram que o suspeito fazia imagens das nádegas e pernas das crianças e da adolescente, e comunicaram aos pais delas.

Em seguida, populares e testemunhas foram em busca do suspeito, que já tinha deixado a área em que estavam, mas o encontraram no estacionamento, onde, abordado, confirmou que tinha imagens no telefone, e desbloqueou o seu aparelho celular.

As testemunhas visualizaram diversas imagens com partes íntimas de crianças e adolescentes e acionaram a polícia.

Uma das testemunhas disse que o impacto de ver as imagens a deixou sob violenta emoção, e acabou desferindo golpes contra o suspeito, causando um início de tumulto, que logo foi contido pelos seguranças do local, os quais mantiveram a ordem até a chegada da polícia.

Já na delegacia, o homem informou que já foi preso duas vezes por crimes sexuais e que ficou mais de dez anos encarcerado em regime fechado.

Questionado sobre com qual finalidade fazia as filmagens, ele respondeu que “preferia não dizer para não piorar a sua situação”, mas reconheceu a existência das provas, bem como que no aparelho há imagens deste sábado e de outras datas passadas, mas que as deste sábado seriam as mais fortes, conforme o boletim.

O suspeito relatou que as imagens são para uso pessoal e negou a divulgação das mesmas. Ele não apresentava ferimentos e sobre a eventual agressão, disse que “não tirava a razão dela”, referindo-se a mulher que teria desferido golpes contra ele.

Ao analisar o caso, o delegado Marcelo Silva Costantini constatou filmagens com data deste sábado em que o suspeito focava partes íntimas, como nádegas e pernas de crianças e adolescentes, e pelo observado somente de crianças e adolescentes, sendo evidente que ele focava essas partes e ainda aplicava o recurso de zoom-, o que explicitou o cunho sexual da ação.

“Considerando-se que existem mais imagens no citado aparelho, de outras datas, bem como que o indiciado possui já condenações por crimes sexuais cometidos contra crianças e adolescentes, não paira nenhuma dúvida de que as citadas imagens das nádegas e pernas dos ofendidos efetivamente configuram cena pornográfica de adolescente, e evidenciam o caráter libidinoso da intenção do agente, e que sua produção teve fim primordialmente sexual”, afirmou Costantini na ocorrência.

Diante desses fatos, o homem foi preso em flagrante, e a Polícia Civil solicitou à Justiça a prisão preventiva do suspeito.