Homem que matou modelo de 23 anos carbonizada é preso no litoral de SP

Segundo a confissão dele, ela teria se recusado a fazer um programa com ele e o teria chamado de ‘Jack’, uma gíria para estuprador, o que teria motivado o crime.

O homem que aparece em um vídeo deixando a casa em que uma jovem de 23 anos foi encontrada morta carbonizada em Ilhabela (SP) foi preso nesta terça-feira (12) e confessou o crime.

Segundo a Polícia Civil ele foi até a delegacia e confessou que matou a jovem Larissa Santos, que era de Praia Grande (SP) e estava trabalhando como garota de programa na ilha. A vítima teve o quarto da casa em que estava incendiado e foi encontrada carbonizada com um pedaço de pano amarrado na boca sobre uma cama.

O crime ocorreu por volta de 22h30 de sábado (9) no bairro Perequê e o registro mostra ele saindo do local às 22h47, pouco antes de o incêndio tomar uma proporção maior.

Segundo a polícia, na confissão do crime, ele alegou que a vítima o teria chamado de “Jack”, que é uma gíria para estuprador e que teria se recusado a aceitar um programa com ele, o que teria motivado o crime. A versão dada por ele será investigada.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, ele respondia em liberdade por um estupro de vulnerável. Ele chegou a ser preso pelo crime em 2021. Ele ficar preso por 30 dias e com a conclusão do inquérito, deve ser pedida a prisão preventiva dele.

Crime

Os bombeiros foram acionados por vizinhos que perceberam as chamas, mas quando chegaram a residência já havia sido consumida pelo fogo.

O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML), onde passou por exames para definir a causa da morte. Uma das linhas de investigação é que ela possa ter sido morta asfixiada e que depois o suspeito tenha incendiado a casa.

A vítima tinha familiares em Santos (SP) e amigos fizeram uma vaquinha virtual para cobrir os curtos do velório e enterro.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP