Segundo testemunhas, o homem foi contido por funcionários e vizinhos até a chegada dos agentes de segurança.

Um homem com uma marreta invadiu uma escola na Baixada Fluminense e ameaçou alunos na quarta-feira, horas depois do massacre em Suzano (SP), em que 7 pessoas foram mortas em um colégio da cidade por dois jovens que, pouco antes, haviam matado um homem em um locadora, e que se mataram depois de cometerem os crimes.

No episódio, somente divulgado nesta quinta-feira, vizinhos da escola localizada em Mesquita, cidade da Baixada, viram um homem com uma marreta na mão pulando o muro do colégio e, em seguida, subindo no telhado do estabelecimento de ensino. A polícia foi acionada para conter o homem que teria ameaçado algumas pessoas e alunos do colégio.

Segundo testemunhas, o homem foi contido por funcionários e vizinhos até a chegada dos agentes de segurança.

“Foi só um susto de uma pessoa que parecia estar em surto”, disse à Reuters um policial próximo à ocorrência. O caso só foi comunicado oficialmente nessa quinta-feira pela Polícia Militar do Rio de Janeiro

“Policiais militares do 20° BPM (Mesquita) foram acionados para verificar denúncia dentro de uma escola na rua Prefeito José Montes Paixão, no bairro Edson Passos, em Mesquita, na Baixada Fluminense”, disse a PM em nota oficial.

“No local, os militares foram informados que um homem pulou o muro da escola e subiu o telhado com uma marreta nas mãos. Os militares conseguiram deter o acusado que aparentava estar em surto. Ele foi encaminhado pelo SAMU para a UPA de Edson Passos”, completa o comunicado da Polícia Militar.

Cerca de mil alunos estudam no colégio municipal Manoel Reis, na cidade de Mesquita. Em 2011, um ex-aluno de uma escola em Realengo, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, invadiu a escola e abriu fogo contra alunos e funcionários.

No massacre, 12 adolescentes foram mortos e diversos ficaram feridos. O atirador suicidou-se após o ataque.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)