Inteligência emocional: como manter o equilíbrio em tempos de crise

A oscilação do mercado financeiro pode gerar tensão, medo e angústia. Por isso, é fundamental contar com uma boa orientação

Queda da bolsa de valores em mais de 10%. Dólar comercial em disparada. Circuit breaker, o mecanismo que impõe limites para a variação negativa do índice Bovespa, acionado o mesmo número de vezes da crise de 2008. O mundo vive momentos de extrema tensão na economia, causada pelo novo coronavírus, e fica impossível negar que o nervosismo atinge até mesmo os investidores mais experientes.

Porém, manter a calma é fundamental diante dos acontecimentos. Oscilações de mercado são uma rotina para quem opera com carteiras de investimentos, por isso, ter com quem contar nessa hora de aflição é garantia de tranquilidade e segurança. Principalmente em um cenário inédito como a crise gerada pela pandemia do COVID-19, uma das maiores armadilhas é pensar a curto prazo. Controle emocional é a palavra-chave para vencer este grande desafio, mas como mantê-lo?

Quem investe quer ganhar, mas precisa aprender a lidar com alguns riscos. Para diminuir os efeitos negativos como medo e angústia, que podem inclusive evoluir para um quadro de depressão, a saída é buscar informação sólida de fonte segura. Os consultores da CM Capital estão preparados para orientar os clientes diante das maiores adversidades, como explica o diretor de operações Vitor Baldi.

Consultoria digital

“Fomos a primeira corretora a oferecer o atendimento por aplicativo de mensagem no Brasil. Nossos especialistas estão preparados para auxiliar a todos, independentemente da renda e patrimônio, sem custo”.  Uma ótima solução em tempos de isolamento social, pois os atendimentos ocorrem à distância e em tempo real.

Parece complicado falar em manter o otimismo diante de uma onda de notícias tão negativas em escala mundial. A recomendação de Vitor é manter a calma, o foco e a persistência. “Apesar de toda a turbulência global, a renda variável é a única possibilidade para ganhos de capital real no longo prazo”. Afinal, como ensina o maior investidor do mundo Warren Buffet, o temperamento correto é o que influencia positivamente no resultado para o investidor.