Jovem mata ex-marido e diz à polícia que agiu para se defender de agressão após discussão por ciúmes

Caso foi registrado como homicídio simples pela Delegacia Sede de Peruíbe, no litoral de São Paulo, e segue investigado.

Uma jovem de 26 anos foi presa por suspeita de matar com uma facada o ex-companheiro, José Inacio Pereira, de 28, em Peruíbe, no litoral de São Paulo. Segundo a Polícia Civil informou no sábado (4), ela alegou às autoridades que cometeu o crime ao tentar se defender de uma agressão, e que constantemente era agredida pelo ex-marido. A discussão teria ocorrido por ciúmes. A polícia investiga o caso.

De acordo com infoprmações, policiais militares foram acionados via Copom para atenderem a uma ocorrência de agressão física. Ao chegarem, foram recebidos pela suspeita, que relatou que, durante uma discussão com o ex-companheiro, desferiu um golpe de faca contra ele, na altura do tórax.

A indiciada declarou à PM que vivia em união estável com a vítima, e que o casal tem uma filha de 3 anos. Afirmou, ainda, que frequentemente era agredida psicologicamente e fisicamente por ele. Na data do crime, durante uma discussão por ciúmes, ele teria tentado agredi-la.

Segundo relatou às autoridades, no intuito de se defender, ela pegou uma faca e desferiu um golpe contra ele. A PM informou, no registro da ocorrência, que o corpo da vítima estava caído no chão do quintal, enrolado em um cobertor, e o local aparentava ter sido lavado.

Porém, ainda de acordo com a Polícia Militar, a área antes do quintal estava suja de sangue, incluindo as muretas. A jovem ainda mostrou aos policiais o local onde a faca usada no crime estava, no chão do quintal, embaixo de uma cadeira.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e constatou o óbito. A perícia também compareceu ao local, e a suspeita foi encaminhada à delegacia.

O caso foi registrado como homicídio simples na Delegacia Sede de Peruíbe. A mulher foi presa em flagrante, e a prisão foi convertida em domiciliar.

Depoimento à Polícia Civil

À Polícia Civil, a jovem relatou que viveu casada com a vítima por três anos. Alegou que ele sempre foi agressivo, e que viveu um ciclo de violência. Ainda afirmou que não conseguia registrar as ocorrências, porque tinha medo dele, e que era ameaçada de morte.

Segundo relatou às autoridades, há mais ou menos dois anos, o companheiro bateu nela, e foi necessário que ela fosse levada ao pronto-socorro. Na ocasião, ela foi medicada e acionou a PM, que a orientou a registrar a ocorrência, mas ela, mais uma vez, teve medo e não seguiu com a denúncia.

Pouco tempo depois, o companheiro foi preso, permaneceu dois anos na cadeia e foi solto em setembro deste ano. De acordo com a vítima, ela não o aceitou de volta em casa, e ele passou a morar com o patrão dele em uma residência próxima à dela.

Porém, conforme alega, desde quando ele saiu da cadeia, ela “não teve mais paz”, e vivia sendo vigiada. Ainda segundo o relato, ela continuou sendo agredida e ameaçada, e atualmente estava morando com a mãe.

Na data do crime, conforme informou, a mãe dela não estava na casa. Um amigo dela foi até a residência, e ela pediu que ele pegasse uma bicicleta com o ex-marido. O rapaz foi, mas voltou com José ao local.

Nesse momento, de acordo com a jovem, ela e o ex começaram a discutir, porque ele teria ficado com ciúmes, e a acusou de ter um caso com o homem para quem ela pediu que pegasse a bicicleta.

Ainda de acordo com o depoimento, o rapaz foi embora, ela entrou em casa e fechou a porta, após pedir para que o companheiro fosse embora, também. Mas, ela afirma que ele estourou a porta e partiu para cima dela, e que, nesse momento, estava preparando um “pão para comer”, e tinha uma faca na mão. Então, quando ele partiu para cima e foi empurrá-lo para trás, ela acabou dando uma estocada com a faca na altura da costela, para ele se afastar.

Ela afirma que, ao vê-lo ferido, o colocou sentado no sofá e foi até um bar em frente à sua casa, onde pediu para alguém chamar o Samu. Ainda de acordo com o que afirma, um amigo foi prestar ajuda, e disse que José estava perdendo temperatura, que estava gelado, então, ela pegou um cobertor e colocou nele, para aquecer.

Também afirma que o amigo viu muito sangue espalhado pela casa, e achou melhor lavarem o local, para que as pessoas que estavam chegando para socorrê-lo não pisassem, e para a filha não ver aquela cena.

Segundo disse à polícia, a vítima se levantou do sofá e foi até o quintal, onde acabou caindo. Então, ela jogou o cobertor em cima dele novamente, viu as luzes de uma viatura e foi ao encontro, para mostrar onde era a casa, e contou o que houve aos policiais.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP