Jovem passa em medicina, mas espera 3 anos para irmã gêmea ser aprovada

Dhara só quis iniciar o curso quando Dhayana também entrou.

As irmãs gêmeas Dhayana Tavares Dias e Dhara Tavares dias, de 20 anos, passaram para medicina na Universidade Federal do Oeste da Bahia. Há três anos, Dhara já tinha sido aprovada para o curso em uma outra faculdade. No entanto decidiu esperar para que tentassem ser aprovadas juntas. “Sempre estudamos juntas. Ela me ajuda, e eu ajudo ela. A gente compartilha questões. O que eu sei eu ensino e ela também”, contou Dhayna.

Nascidas em Jataí, no sudoeste de Goiás, as irmãs conseguiram a aprovação por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Da mesma forma que faz a classificação dos candidatos de acordo com as notas obtidas pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Passa em medicina

Dhara conta que, em 2018, passou para medicina em uma universidade no Mato Grosso. Porém optou por esperar para fazer o Enem e tentar uma aprovação junto da irmã. Bem como não havia conseguido aprovação naquele ano. Sendo assim a expectativa das irmãs é grande. “Vai ser mais fácil também. Não teríamos condições financeiras para estudar cada uma em uma cidade diferente. Estamos bem otimistas”, contou.

Mudança

Primeiramente as irmãs disseram que se mudaram para Goiânia para fazer o ensino médio. Posteriormente fazer cursos preparatórios em escolas particulares. Dessa maneira ganharam bolsas de estudos. Dhayna contou que, desde criança, sonhava em ser psiquiatra. “Desde criança eu já pensava, mas não tinha muita noção. Minha irmã já pensa em especializar em geriatria. A pandemia também nos sensibilizou”, contou.

Ainda mais devido a pandemia, as aulas estão previstas para começar em janeiro de 2022. Do mesmo modo o pai das gêmeas, Milton César Dias, de 48 anos, contou que se sente “orgulhoso” pela conquista das filhas. Enfim, que acredita que elas vão se “realizar profissionalmente”. Sendo assim ele disse ainda que sempre as acompanhou nos estudos. “Qualquer pai ficaria orgulhoso. A gente sempre priorizou os estudos delas. Esta é uma oportunidade de servir e ajudar o outro. A medicina tem essa particularidade. Elas vão se encontrar, gostam muito de ajudar o próximo”, disse o pai.

Jovem passa em medicina

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT