Jovem que morreu afogado no litoral de SP estava realizando sonho, diz prima

Jovem tinha apenas 21 anos e o corpo foi encontrado em cidade vizinha ao local do desaparecimento, a 21 km de distância.

Por G1 Santos

O jovem turista de 21 anos que morreu afogado em Mongaguá, no litoral de São Paulo, estava visitando a praia pela primeira vez no fim de semana em que faleceu. De acordo com informações de uma prima entrevistada nesta terça-feira (28), o rapaz tinha o sonho de conhecer o mar, por isso foi à cidade litorânea. O corpo do estudante Marcos da Silva Rabello foi encontrado a 21 km do local onde se afogou.

Segundo a vigilante Verônica Santos, de 36 anos, ela conhecia Marcos desde quando ele era bebê. “Eu era prima de consideração dele, minha tia ajudou a mãe dele a criá-lo desde que ele tinha quatro meses. Quando ele desapareceu, já foi desesperador, porque não sabíamos o que tinha acontecido”, diz.

clique na imagem e saiba mais

O jovem, segundo a familiar, viajou com um amigo e os pais desse colega para Mongaguá na quinta-feira (23) à tarde. Ele é natural de Franco da Rocha, onde morava atualmente. “Eles o levaram porque era o sonho dele conhecer o mar. Essa foi a primeira vez dele na praia e vendo o mar”, conta a prima.

Na sexta-feira (24), Marcos chegou a tirar uma foto na cidade litorânea (veja acima), mas no sábado (25), quando entrou no mar na Praia de Itaóca, com a água ainda na altura do joelho, desapareceu em meio às ondas e não foi mais visto.

Familiares e amigos chegaram a fazer postagens nas redes sociais, pedindo ajuda no compartilhamento das publicações, para tentar localizar o jovem. Mas, nesta segunda-feira (27), o corpo foi encontrado em Praia Grande, cidade vizinha a Mongaguá.

De acordo com a vigilante, o primo tinha muito orgulho da mãe e da luta dela para criá-lo. “Marcos era uma pessoa sorridente e sonhadora, que adorava a dança de rua, o teatro e o circo. Ele era um ótimo ator aqui na cidade, todos gostavam dele. A gente já imaginava que ele tinha morrido depois que desapareceu, mas não queríamos acreditar”.

O corpo da vítima será liberado nesta terça-feira (28), e o velório ocorrerá em Franco da Rocha. A família ainda não tem previsão de horário. “Ele morreu realizando um sonho. Nosso mundo acabou. Será muito difícil vivermos sem ele. Ele era filho único e muito apegado à mãe dele, então, será pior ainda para ela e para a minha tia, que também o criou. Mas, sabemos que ele está ao lado de Deus, e isso conforta a gente”, relata.