Jovem que passou a noite em córrego após sofrer queda quebrou ossos e teve paralisia facial

Morador de Itapetininga (SP) estava indo para a casa da avó no Jardim Itália e decidiu percorrer a linha do trem para encurtar o caminho. No entanto, passou mal e caiu de uma altura de cerca de quatro metros.

O jovem de 23 anos que foi socorrido depois de passar uma noite caído em um córrego, na Vila Santa Isabel, em Itapetininga (SP), quebrou diversos ossos e teve várias sequelas por causa do acidente.

Wellison Aparecido da Silva contou que que passou frio, dor e teve medo de não sobreviver. “Eu não sei explicar direito o que aconteceu, mas eu acho que tive um ‘apagão’. Quando eu acordei, vi que minha cabeça e o nariz sangravam muito. Além disso, o meu braço estava quebrado. Eu caí em cima das pedras, então o impacto foi forte. Minha primeira reação foi tentar me levantar, mas eu estava muito machucado”, conta Wellison.

O acidente aconteceu no dia 20 de junho. Segundo o Corpo de Bombeiros, a equipe foi acionada na manhã do dia seguinte para atender a ocorrência e resgatou o jovem para o Hospital Dr. Léo Orsi Bernardes com ferimentos pelo corpo.

Wellison relata que sofreu a queda quando estava a caminho da casa da avó, que fica no Jardim Itália. Segundo o jovem, ele decidiu percorrer a linha do trem para encurtar o caminho, mas passou mal e caiu de uma altura de cerca de quatro metros.

Ele ainda afirma que tentou pedir ajuda para algumas pessoas que passavam pela linha do trem, mas ninguém o socorreu. Foi então que ele decidiu se arrastar até o córrego para se limpar. “Pelo menos três pessoas me viram lá embaixo, mas ninguém me ajudou. Eu imaginei que elas estivessem com medo, por isso eu disse que não precisava descer, era só chamar a ambulância ou os bombeiros. Mesmo assim não recebi ajuda. Foi muito desesperador.”

Ainda de acordo com Wellison, o momento mais difícil que passou no córrego foi durante a madrugada, quando o jovem teve que juntar algumas pedras para se proteger do frio.

De acordo com o Instituto Climatempo, naquela noite, a região de Itapetinga registrou mínima de 8ºC. “Minhas roupas estavam molhadas e durante a madrugada fez muito frio. Para eu não pegar ‘friagem’, juntei algumas pedras e me escondi atrás delas. Meu corpo tremia de frio e dor. Naquele momento pensei que eu não iria sobreviver, que eu iria morrer de hipotermia. Eu não sabia mais o que fazer, então comecei a orar para que alguém me tirasse de lá”, lembra o jovem.

Jovem que caiu em córrego tem alta de hospital em Itapetininga — Foto: Wellison Aparecido da Silva/Arquivo pessoal

Resgate

Na manhã do último dia 21, Wellison acordou com o barulho de um homem que fazia a manutenção de um outdoor próximo ao local onde ele estava. Ele contou que o trabalhador acionou o Corpo de Bombeiros e permaneceu com ele até que a equipe o retirasse do córrego.

O jovem foi resgatado e levado ao Hospital Dr. Léo Orsi Bernardes, onde permaneceu internado por quase 7 dias, tendo alta no sábado (26). Ele teve lesões na cabeça, braços e fraturou a costela. “Me falaram que eu tinha quebrado a costela, a coluna, estava com um pouco de sangramento no pulmão, e tinha um corte grande na cabeça e paralisia facial do lado esquerdo do rosto”, conta.

Wellison explicou que vai passar por uma cirurgia no braço nesta quinta-feira (1º) e comprar um colete para ajudar na recuperação da coluna. De acordo com ele, os médicos contaram que a paralisia facial que teve em decorrência do acidente deve melhorar com o tempo.

Apesar das sequelas e ferimentos, o jovem contou que está aliviado e grato a todos aqueles que ajudaram no resgate. “Eu queria agradecer a toda a equipe do Corpo de Bombeiros que me tirou de lá, mas principalmente ao homem que me viu e chamou os bombeiros. Pelo menos três pessoas me viram ali e não fizeram nada, mas ainda bem que existem pessoas boas”, completa o jovem.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT