Júri condena homem a 18 anos de prisão por matar ex-namorada com 11 tiros em Campinas, SP

Vítima de 21 anos trabalhava como operadora de caixa em um mercado e foi assassinada pelo réu em maio de 2019. Defesa pode apresentar recurso contra sentença desta terça-feira (21).

O Tribunal do Júri em Campinas (SP) condenou Lucas Henrique Siqueira Santana a 18 anos de prisão por ter matado a ex-namorada Thaís Fernanda Ribeiro com 11 tiros em Campinas (SP). O crime foi em maio de 2019 e a sentença proferida pelo juiz José Henrique Rodrigues Torres, em julgamento nesta terça-feira (23), determina cumprimento da pena inicialmente em regime fechado. Cabe recurso.

À época do crime, a vítima tinha 21 anos e trabalhava como operadora de caixa em um mercado. Ela foi assassinada em imóvel que seria do réu, e o caso comoveu a comunidade católica na região do CDHU San Martin.

O relacionamento durou três anos, mas o casal rompeu na semana anterior ao crime e Santana, então com 23 anos, não aceitava a separação, de acordo com as testemunhas. A sentença foi definida por volta das 22h30, após nove horas de trabalhos no Palácio da Justiça.

Os jurados consideraram, durante o julgamento, que Santana praticou o assassinato de Thaís com a qualificadora do emprego de recurso que dificultou a defesa a defesa da vítima (arma de fogo).

Por outro lado, após debates entre acusação e defesa, entenderam que não houve a qualificadora do feminicídio neste crime, ou seja, que o assassinato não foi por razões da condição do sexo feminino.

O crime

Segundo parentes da vítima, antes dos disparos o réu teria elevado o volume de um rádio para que vizinhos não ouvissem. O pai de Thaís disse que antes do crime o rapaz não aparentava ser violento.

O réu cumpre prisão preventiva desde 2019, após se apresentar em uma base da Polícia Militar, em Santo André (SP). Nossa reportagem não localizou a defesa dele para comentários sobre o júri até esta publicação.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP