Justiça condena motorista por tentar atropelar a ex-esposa na frente do filho com síndrome de Down

Agressor foi sentenciado a 7 anos de prisão por tentativa de homicídio; crime foi registrado em Jundiaí (SP).

A Justiça condenou um motorista por tentar matar a esposa atropelada na frente do filho, portador de síndrome de Down, em um posto de combustíveis de Jundiaí (SP). Em decisão do Tribunal do Júri, realizado em 4 de fevereiro, o homem foi condenado a 7 anos de prisão em regime fechado. A condenação cabe recurso.

O crime foi registrado no dia 4 de novembro de 2018. Por volta das 23h04, Osvaldo Caetano Geraldi tentou matar a ex-esposa no posto de combustíveis na avenida dos Imigrantes Italianos, no Jardim Pacaembu. Ela estava com o filho, que na época tinha 12 anos.

Segundo a investigação, os dois mantiveram um relacionamento e tiveram o menino. No entanto, o casal estava separado havia 9 anos. Contudo, por ainda não aceitar o fim da relação, o réu bateu com o carro dele no veículo onde estavam o filho e a vítima. Na ocasião, ele emparelhou os automóveis e ameaçou a mulher de morte.

clique na imagem e saiba mais

Ao perceber que corria risco, a mulher entrou na área do posto. Em seguida, ao ver que a vítima saiu do carro, ele tentou o atropelamento por três vezes. Como não conseguiu, ele foi até a ex-companheira e a agrediu. Na sequência, a Guarda Municipal foi acionada ao local e prendeu o agressor em flagrante.

Após o caso, a criança chegou a passar por uma avaliação psicológica e apresentou reações como colocar as mãos nos ouvidos e chorar. Conforme o laudo, o menino disse frases como: “papai mau”, “papai bateu mamãe”. Em seguida, permaneceu 3 dias sem falar e em estado de choque. O homem foi denunciado pelo Ministério Público por homicídio tentado, motivo fútil e sem defesa da vítima.

ÁGIL DPVAT