Justiça nega recurso e mantém condenação em 17 anos de mulher que matou ex-companheiro e ateou fogo no corpo

Segundo o TJ, a ré atraiu o ex até a casa pedindo para que ele a entregasse um cachorro, mas a vítima foi recebida com golpes na cabeça. Mulher ainda contou com a ajuda do filho adolescente no crime.

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) negou o recurso e manteve a condenação em 17 anos de prisão por homicídio qualificado e corrupção de menores de Ofélia Aparecida Elias, que foi detida após matar o ex-companheiro, Leandro Aparecido Ferreira Peres, em Avaré (SP), em novembro de 2016.

Segundo o TJ, o crime aconteceu depois que o casal se separou por causa de complicações no relacionamento e relatos de agressão. No dia do crime, ainda de acordo com o Tribunal de Justiça, Ofélia teria chamado o ex para que ele a entregasse um cachorro. Devido às brigas, o homem havia deixado a residência do casal e ido morar com sua mãe.

Ao chegar na casa, a mulher atingiu o ex-companheiro com diversos golpes de uma chave de rodas de caminhão na cabeça. Em seguida, segundo o processo, a mulher pediu ajuda ao filho adolescente para amarrar o padrasto e colocá-lo em um carro. Leandro foi levado até uma estrada vicinal na cidade, onde a mulher ateou fogo em seu corpo.

Durante investigação, Ofélia confessou o crime à polícia, afirmando ainda que o homem tentou agredi-la e que, antes de ser morto, vivia episódios de agressão, inclusive com seus filhos. Segundo o TJ, Ofélia e Leandro ficaram juntos por seis anos e tiveram dois filhos, mas também tinham outros cinco filhos de outros relacionamentos.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT