Justiça ouve suspeito de matar mulher com ‘enforca-gato’ por ciúme no interior de SP

Anúncio

Crime aconteceu na casa onde Aline Silva e suspeito moravam, em Botucatu. Irmã, mãe e policiais também foram ouvidos na primeira audiência realizada no Fórum.

A Justiça realizou nesta segunda-feira (27) a primeira audiência de instrução sobre o caso da jovem Aline Aparecida da Silva, de 28 anos e que foi morta com enforca-gato em 2019, em Botucatu (SP).

Durante a audiência, no Fórum da cidade, além do suspeito, que participou por videoconferência, foram ouvidos a irmã e a mãe da vítima, o policial que atendeu a ocorrência e os familiares do acusado.

Contudo, por conta da ausência de dois policiais, o juiz decidiu marcar outra audiência para maio. Assim, será decidido se Davi irá ou não para júri popular.

Crime

O ex-marido da vítima, Davi Tobias, confessou ter matado a jovem por ciúme. Ele usou uma abraçadeira de plástico, popularmente conhecida como ‘enforca-gato’, para estrangular a vítima, segundo informações da Polícia Civil.

O crime aconteceu onde o casal morava, na Vila Mariana. Davi fugiu do local após o crime, mas foi preso pouco tempo depois em Itatinga. Para a polícia, ele disse que matou a esposa por ciúme depois de chegar em casa do trabalho e a ver conversando com outro homem na rua de casa.

Na época, ele foi preso em flagrante e levado para a cadeia pública de Itatinga (SP). Na audiência de custódia realizada ainda no ano passado, Davi teve a prisão em flagrante convertida em preventiva e foi encaminhado para o Centro de Detenção Provisória de Itatinga (SP).

Aline trabalhava em um supermercado em Botucatu e foi enterrada no Cemitério da Saudade, em Itatinga.