Macaco bugio chama a atenção de clientes e funcionários ao ser flagrado em um supermercado no interior de SP

Animal é conhecido como Chico e vive há três anos em uma praça próxima ao local.

Por G1 São Carlos e Araraquara

Um macaco da espécie bugio (Alouatta) chamou a atenção de clientes e funcionários de um supermercado na Vila Sedenho, em Araraquara (SP), na manhã desta quinta-feira (25). Nos vídeos gravados é possível ver que o animal, conhecido como Chico, está entre as caixas de bebida e se aproxima de quem oferece bananas. 

Morador antigo

De acordo com o técnico ambiental do Departamento Autônomo de Água e Esgotos (Daae), Rodrigo Batigalhia, o macaco apareceu há três anos em uma praça próxima ao estabelecimento e permanece no local porque a população o alimenta.

clique na imagem e saiba mais

“O pessoal pensa que ele está passando fome, mas não é nada disso, porque esse animal come folhas, insetos e outros tipos de frutos na natureza. Quando a população deixa marmita, banana e outros alimentos, ele acaba descendo no chão e esse comportamento não é normal”, explicou o técnico ambiental.

Ainda segundo Batigalhia, os macacos dessa espécie vivem em bandos e, possivelmente, Chico foi expulso de um quando atingiu a maturidade sexual e não procurou outro pela situação cômoda em que vive.

Riscos

Contudo, o técnico ambiental alerta que essa relação próxima entre humanos e animais silvestres pode ocasionar acidentes para ambos. Para evitar eventuais riscos, o Daae organizou ações de conscientização por meio de cartazes informativos que serão fixados no supermercado e na praça ainda nesta semana.

“Queremos que ele volte instintamente quando ele perceber que não tem mais comida ali, porque aí sim ele vai procurar um bando. Ele não vai morrer de fome, porque chegou ali sozinho e consegue sair sozinho e, mesmo se não sair, na própria mata tem o que ele precisa”, disse Batigalhia.

A medida também tem como objetivo diminuir os comportamentos adquiridos com a interação humana, como descer no chão, viver sozinho e não buscar alimento na natureza.