Mãe de bebê de apenas 4 dias que se engasgou com leite reencontra PMs que a ajudaram no resgate

A mãe de 35 anos procurou pela base militar para pedir ajuda para filha recém-nascida. A bebê nasceu no dia 20 de maio.

A mãe da recém-nascida que precisou ser resgatada por policiais militares após se engasgar com leite, em Piraju (SP), fez uma visita à base da PM nesta sexta-feira (28). Vanessa Moraes De Lara Oliveira, de 35 anos, afirma que fez questão de agradecer os PMs que ajudaram no resgate, registrado na segunda-feira (24).

Ela contou que a ajuda foi primordial para que pudesse estar com a filha no colo, que nasceu no dia 20 de maio. No dia que a criança engasgou, ela dirigiu do sítio onde mora, na zona rural da cidade, até a Polícia Militar.

Segundo ela, foram momentos de angústia e medo. “Eu tinha acabado de amamentar e por desconfiar que ela tinha refluxo como o irmão, eu coloquei numa posição em que ela se sentisse confortável e com a cabeça para cima. Mas o leite voltou. Na hora eu já tentei fazer manobra, mas como eu estava nervosa, não conseguia fazer direito. Aí eu senti que eu ia perder minha filha. Peguei o carro, e nem poderia porque estou cheia de pontos, mas eu fui. Tentamos ligar para alguém, mas ninguém atendia”.

Ela conta que a estrada, que costuma estar com fluxo de veículos, não tinha nenhum carro no trajeto até o quartel. “Ainda tive que abrir a porteira de casa, coloquei ela no banco do passageiro, fui batendo nas costas dela, e fui dirigindo. Foi Deus e Nossa Senhora que dirigiram por mim. Eu não sei como eu consegui chegar. Fui muito rápido”.

“O sentimento era terrível. Era um sentimento que se eu não chegasse logo eu iria perder ela mesmo. Foi horrível. Foi o pior momento da minha vida, porque o amor que a gente tem pelos filhos não tem o que explique”.

Bebê é salva por policiais militares após engasgar em Piraju — Foto: Matheus de Souza/Arquivo Pessoal

Ajuda

Chegando à base, quem viu Vanessa pedindo socorro foi o soldado Cristiano Rubens. “A gente já estava se preparando para passar o serviço. Estávamos aqui no quartel, e vimos que um carro estacionou e ficou buzinando. Aí vimos uma mulher de roupão que entrou desesperada no estacionamento. Vi pela filmagem que era uma criança e já corri”.

Rubens conta que colocou a bebê de bruços na perna e fez a manobra específica para esse tipo de engasgo. Segundo ele, apesar de ter sido treinado para fazer esse tipo de socorro, foi a primeira vez que precisou colocar em prática o que aprendeu. “Fui batendo com cuidado nas costas mais de um minuto. Aí escutei que ela tossiu. Foi aliviando e aí tossiu de novo, e depois chorou. Foi um alívio. Dali fomos até o hospital e a equipe médica atendeu a criança. Foi bem tenso, mas deu tudo certo. Foi uma sensação única”.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT