Make: como escolher o corretivo?

Entenda mais sobre o processo para não errar na compra.

Nos últimos anos, o mercado de cosméticos diversificou muito seus produtos e hoje pode ser difícil saber qual é o melhor produto para o seu tipo de pele. O Brasil é o quarto maior mercado de cosméticos e produtos de cuidado pessoal no planeta, segundo dados da Euromonitor International. O país fica atrás apenas dos Estados Unidos, China e Japão.

Na área de maquiagem, novos ingredientes passaram a ser adotados pela indústria e houve um aumento das tonalidades e texturas oferecidas. Um produto básico para quem deseja manter a maquiagem em dia é o corretivo. Veja mais informações sobre sua importância e como escolher o mais adequado para a sua pele.

Função

As pessoas pensam que o corretivo serve apenas para cobrir espinhas, olheiras e manchas. Porém, a função deste produto não se limita a isso. Os maquiadores profissionais o utilizam para obter efeitos variados, como deixar o rosto mais iluminado e fazer contorno, entre outros exemplos.

O corretivo também é adequado para deixar a pele com uma coloração mais uniforme. O mercado já oferece kits de corretivos para bases, que evitam que a tonalidade do seu rosto fique muito diferente do restante do corpo.

No processo de iluminação, o corretivo é importante para destacar algumas áreas do rosto, principalmente os olhos. Para obter esse efeito, é preciso aplicar o corretivo na forma de triângulo invertido partindo do canto externo até a parte interna do olho.

Diferentemente do batom e do blush, que são produtos com tonalidades mais chamativas e que devem ser usados com bastante cuidado, o corretivo é mais discreto e ótimo para quem gosta de se maquiar sem tanto trabalho, podendo ser utilizado em qualquer momento do dia e ocasião — desde o trabalho até festas.

Tipo de pele

A maioria das pessoas se preocupa apenas com a marca do corretivo — esse fator é importante, mas está longe de ser o único. O tipo de pele é outra informação essencial para acertar na hora de escolher o corretivo.

Peles oleosas precisam de produtos com uma textura mais seca, que ofereçam maior duração. Já as peles secas precisam de corretivos com capacidade hidratante, para garantir uma textura equilibrada à produção.

Coloração

Depois de verificar o seu tipo de pele e a textura de corretivo mais adequada, o próximo passo é escolher a melhor coloração — fator que tem impacto direto sobre o acabamento da maquiagem.

Algumas dicas básicas de coloração são: tons beges para disfarçar olheiras profundas provocadas por cansaço e noites mal dormidas. Para esconder espinhas e manchas, tonalidades mais esverdeadas podem ser melhores — o segredo aqui é dar leves batidas no rosto após aplicá-los para que a maquiagem não fique sobrecarregada.

Se você tem hematomas no rosto, a cor amarela pode ser a melhor opção. É importante lembrar que existem muitas cores de pele e é necessário testar o produto, se possível, para checar qual é a tonalidade mais adequada para você.

Formato

Basicamente, o corretivo pode ser adquirido em três formatos: lápis, líquido ou bastão. O lápis permite produzir uma maquiagem mais detalhada e dá um acabamento mais rebuscado — no canto do olho ou logo abaixo do nariz, por exemplo.

Já o corretivo líquido é recomendado para dois tipos de acabamento: alta cobertura ou os mais leves, podendo ser encontrados em frascos ou bisnagas. Por fim, o bastão tem uma textura mais grossa e exige mais cuidado para que a maquiagem não fique grosseira.

Por se tratar de um produto extremamente versátil, o corretivo adequado depende da ocasião. Se o foco é amenizar manchas e espinhas, uma certa tonalidade pode ser melhor. Agora, se o objetivo é dar destaque para a região dos olhos, outras cores são melhores. Por isso, antes de comprar o corretivo, pense em quais serão as ocasiões em que ele mais será usado.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT