Menina de 12 anos salva gatinho de bueiro após ouvir miado e vídeo emociona

PUBLICIDADE

O vídeo mostra Monique enfiando o braço no bueiro e retirando o gatinho de lá, enquanto os alunos ao redor comemoram.

Um vídeo comovente que viralizou nas redes sociais mostra uma menina de 12 anos resgatando um gatinho que estava dentro de um bueiro, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Foi o pai da criança, o médico veterinário Felipe Poggiali Bretas, que compartilhou o registro, e o gatinho foi adotado pela Monique, que fez o resgate.

De acordo com o veterinário, a menina salvou o animal depois que os alunos de um colégio da região Centro-Sul de BH ouviram um miado vindo do bueiro em frente à escola, na última quarta-feira (18). Monique, que sempre teve grande carinho por bichinhos, logo se dispôs a ajudá-lo.

“Desde bebezinha, ela sempre ficou muito animada com animais de qualquer espécie. Até chama a atenção: na primeira vez que ela viu uma cobra, que era doméstica e estava nas mãos de alguém, todas as crianças fugiram correndo e ela correu em direção à cobra”, conta o pai.

O vídeo mostra Monique enfiando o braço no bueiro e retirando o gatinho de lá, enquanto os alunos ao redor comemoram. O registro foi compartilhado na segunda-feira (23) por Felipe Poggiali Bretas e viralizou após ser compartilhado pelo deputado federal Fred Costa (Patriota), na quinta-feira (26).

“Poder ver jovens com essa consciência de respeito e amor aos animais é um alento. Demonstração que estamos avançando e vamos, juntos, fazer ainda mais, dando a voz a quem não tem”, escreveu o parlamentar no Instagram.

PUBLICIDADE

Adotado

Depois da repercussão, o pai de Monique publicou um vídeo da filha esclarecendo que o gatinho passa bem. “Queria agradecer pela repercussão do vídeo do gatinho, Como vocês podem ver, o gatinho está bem. Ele tem por volta de um mês de idade e qualquer atualização eu falo para vocês”, diz ela.

Monique ainda não decidiu que nome dar para o bichinho, e a história por trás do nome do seu outro gato de estimação também é de emocionar. “Nós o encontramos no mato, quando ela e a irmã escutaram um miado vindo de baixo de uma pedra, me chamaram e eu fiz o resgate. Ela chamou ele de Lucky [sorte, em inglês], porque foi uma grande sorte ele ter nos encontrado”, explica o pai.

PUBLICIDADE
CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP