Menina de 4 anos morre após ser picada por escorpião no interior de SP

PUBLICIDADE

As crianças foram as principais vítimas de escorpiões, este ano, no Estado.

Uma menina, de 4 anos, morreu após ser picada por um escorpião que estava escondido em sua blusa, nesta segunda-feira (22), em Ourinhos, interior de São Paulo. O acidente aconteceu na casa da família, na Vila Sândalo. A pequena Giovana Guedes Martins preparava-se para ir à escola quando reclamou de frio e pediu à mãe, Janaína Martins, de 33 anos, que a vestisse com um moletom. Em seguida, a criança começou a gritar de dor e a mãe se deparou com o escorpião no interior da manga do agasalho.

Ao tentar retirar o aracnídeo, a mulher também foi picada por ele. Elas foram levadas para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) e tiveram atendimentos distintos. Enquanto a mãe, que recebeu uma dose menor do veneno, foi só medicada, a menina foi transferida para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Infantil da Santa Casa da cidade.

Apesar de medicada, seu estado de saúde piorou e ela teve parada cardiorrespiratória por causa da ação do veneno. O corpo de Giovana foi sepultado, na manhã desta terça-feira, 23, no Cemitério da Saudade, em Ourinhos.

As crianças foram as principais vítimas de escorpiões, este ano, no Estado. Em abril, a menina Priscila de Oliveira Silva, de 5 anos, morreu após ser picada em sua casa, em Araçatuba (SP). No mesmo mês, o aracnídeo causou as mortes da menina Yasmin Lemos Campos, de 4 anos, em Cabrália Paulista, e do garoto Brian Gabriel Alves, de 6, em Barra Bonita.

PUBLICIDADE

Em maio, João Victor Souza de Paula, de 8 anos, morreu após ser picado em Ribeirão Preto (SP). No mês de julho, Nicolas Benette, de 7 anos, recebeu a picada quando calçava o sapato, em Sumaré (SP), e não resistiu.

De acordo com o Centro de Vigilância Epidemiológica (CEV) da Secretaria Estadual de Saúde, este ano, até 16 de agosto, foram registrados 14,3 mil casos relacionados a ataques de escorpiões no Estado. Em todo o ano passado, foram 21,7 mil casos. Nos dois anos, a média é a mesma, de 1,8 mil casos por mês. Em 2017, houve 7 óbitos por escorpiões. Já este ano, até agosto, foram contabilizados 6. A estatística não inclui a morte da pequena Giovana.

Conforme a Vigilância, as ações de combate e prevenção relacionadas a zoonoses, como os ataques de escorpião, competem aos municípios.


Aviso: Os comentários só podem ser feitos via Facebook e são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, sendo passível de retirada, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Tem uma sugestão de reportagem? Nos envie através do WhatsApp (19) 99861-7717.

PUBLICIDADE
CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP