Menino engasga com pirulito e é salvo por policiais militares no litoral de SP

Avós chegaram, em estado de choque, com menino de quatro anos engasgado no Batalhão da PM de Praia Grande.

Um menino de 4 anos se engasgou com um pirulito e foi salvo após a ajuda de policiais militares em Praia Grande, no litoral de São Paulo. Após muitas tentativas, o menino vomitou o doce e passa bem.

Os avós procuraram ajuda dos policiais na 2ª Companhia do 45º Batalhão da PM, na noite de sexta-feira, após notarem que o neto havia se engasgado com um pirulito sem o palito. Eles chegaram de carro, em estado de choque, com a criança que não estava conseguindo respirar direito.

clique na imagem e saiba mais

De imediato, dois policiais pegaram o menino e um deles, o soldado Alexandre Pezotti, de 29 anos, começou a realizar a manobra de Heimlich, em uma tentativa de desobstruir o pirulito das vias aéreas superiores da criança.

Naquele mesmo momento, uma viatura com outros três policiais chegou ao local. Eles acionaram o Centro de Operações da Polícia Militar do Estado, via rádio, já que a criança não apresentava melhora, e encaminharam um pedido de emergência à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Samambaia, para onde decidiram levá-lo.

A equipe composta por Pezotti, Lins, João Carlos, Hugo e Tatiana, da 2ª CIA, seguiu com o menino em direção a unidade de saúde. Durante todo o percurso, o soldado Alexandre continuou realizando as manobras de desengasgo na criança. Enquanto isso, outra equipe liberava o tráfego para a passagem da viatura.

No caminho, com o menino já vermelho e sem forças, o soldado conseguiu fazer uma manobra e alcançar o doce preso na garganta do menino com uma pinça. “Fiz a manobra diversas vezes, ele puxava o ar, mas não conseguia desengasgar. Já estava saindo sangue quando, finalmente, conseguimos”, disse o soldado.

O menino cuspiu o pirulito e vomitou algumas vezes em seguida. “Ele levantou e começou a gritar ‘melhorou, melhorou, melhorou’. Ouvir isso foi inexplicável”, relatou Pezotti. Após o alívio, segundo o soldado, o menino ficou “todo contente por estar dentro de uma viatura”.

Já na UPA, o menino foi avaliado por uma equipe médica que constatou que ele estava bem. A criança foi liberada e ficou aos cuidados dos avós. (Com informações do Por G1 Santos e Região)